PUBLICIDADE
Topo

Câmara marca audiência pública para cobrar COB em meio a denúncias

Demétrio Vecchioli

12/12/2019 10h46

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Paulo Wanderley Teixeira, em entrevista na sede da entidade – Ricardo Borges-13.out.17/Folhapress

A Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados aprovou ontem (11) a realização de uma audiência pública para ouvir o que o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Wanderley, tem a dizer sobre a crise que atingiu o comitê nas últimas duas semanas. A audiência foi pedida pelo deputado Luiz Lima (PSL-RJ), que é ex-atleta olímpico.

O deputado carioca lista quatro pontos a serem discutidos. O primeiro deles, a tentativa de aprovação de mudanças estatutárias no Comitê Olímpico que reduziriam o poder do Conselho de Ética e acabariam com o posto de líder de conformidade, funcionário independente responsável por avaliar a conformidade do trabalho do comitê.

LEIA MAIS:

+ Taiti é escolhido como sede do surfe nos Jogos Olímpicos de Paris

+ Futebol é líder em casos de doping no esporte brasileiro

+ Campeões no mesmo dia, Bia e Nory vencem o Prêmio Brasil Olímpico

O segundo, uma auditoria que vinha sendo mantida sob sigilo a respeito de contratos da área de tecnologia do COB. Uma série de denúncias anônimas apontaram a existência de um esquema de contratação de empresas parceiras e de amigos de um técnico que depois viraria gerente de TI, Leonardo Rosário. Este chegou ao COB logo depois de Paulo Wanderley virar presidente e é da Vitória (ES) assim como o líder do COB.

Tanto a tentativa abrupta de alterar o estatuto quanto a investigação sobre os contratos foram revelados em primeira mão pelo Olhar Olímpico.

Além disso, Luiz Lima cita no requerimento o pedido do Ministério Público Federal (MPF) de abertura de inquérito para investigar a contratação de Rogério Sampaio como CEO do COB, dias depois de o ex-judoca deixar o cargo de Secretário de Alto-Rendimento no então Ministério do Esporte. Em tese ele precisaria passar seis meses de quarentena, mas Rogério alega que teve aprovação do Comitê de Ética da Presidência da República para fazer a troca.

Por fim, o deputado aponta uma matéria do Lance! que mostrou a subutilização e o abandono de diversos equipamentos do departamento de bioquímica do Laboratório Olímpico.

 

 

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.

Olhar Olímpico