Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Atletas pedem assembleia para destituir presidente da CBDA

Demétrio Vecchioli

23/08/2019 13h50

A Comissão de Atletas da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) assinou documento pedindo a convocação de uma assembleia geral extraordinária (AGE) em setembro que tem, entre os itens da pauta, a destituição do presidente Miguel Cagnoni. Além dos esportistas, pelo menos dez federações das 27 estaduais também respaldam o pedido. O número é suficiente para forçar a CBDA a convocar a AGE.

Presidente da comissão, Tammy Galera Takagi, dos saltos ornamentais, assinou o documento datado da última quarta-feira em nome dos atletas. No termo, a comissão assume o compromisso de deliberar, na AGE, a prestação de contas da CBDA referente ao primeiro semestre de 2019 e "a destituição do presidente Miguel Cagnoni, por justa causa, de modo a permitir seu direito de defesa".

LEIA MAIS:

+ Parapan começa com incertezas e debate sobre classificação de atletas

+ Natação tem disputa por sucessão de presidente em vias de ser deposto

+ Após denúncia do UOL, TCE vê fraude de R$ 1,2 mi e multa presidente da CBDA

Como mostrou o Olhar Olímpico na quarta, a saída de Miguel é certa. Dois grupos políticos, porém, medem forças para assumirem o que restou da confederação. O próprio Miguel defende a convocação de uma nova eleição, tese defendida pelo grupo de Coaracy Nunes e pelo candidato deste grupo nas eleições passadas: o deputado estadual paraibano Ricardo Barbosa (PSB), que seria novamente candidato.

Do outro lado, o grupo que ajudou a eleger Miguel e se afastou dele por não concordar com sua postura centralizadora e pouco transparente, defende o que manda o estatuto: que o vice-presidente Luis Coelho assuma. O pernambucano promete ir a fundo para entender como a confederação chegou à situação de "pré-falência" apontada pelo Conselho de Ética do COB, o que não interessa nem a Miguel nem ao grupo de Coaracy.

Além da comissão de atletas, ao menos outras 10 federações estaduais já assinaram o pedido por uma AGE em setembro, provavelmente no dia 16: Rio de Janeiro (que lidera o movimento), Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, São Paulo, Espirito Santo, Mato Grosso do Sul, Acre e Tocantins. Celso Oliveira diz ter o apoio verbal de outras cinco.

Para ser aceita para fins de Lei Pelé e Lei Agnelo/Piva, a eleição precisa ter a participação de 1/3 dos atletas no colégio eleitoral. O problema é que até agora a ata da assembleia que alterou o estatuto da CBDA não foi registrada em cartório.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.