Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Mayra Aguiar reassume a liderança do ranking mundial após ouro

Demétrio Vecchioli

15/07/2019 11h36

Mayra Aguiar comemora conquista em Budapeste

Principal nome do judô brasileiro, Mayra Aguiar vai chegar aos Jogos Pan-Americanos de Lima (Peru) e ao Mundial de Tóquio (Japão), ambos em agosto, como líder do ranking mundial na categoria até 78kg. Nesta segunda-feira, a Federação Internacional de Judô (IJF) atualizou a lista e destacou a judoca gaúcha, que no domingo ganhou a medalha de ouro no Grand Prix de Budapeste, na Hungria.

LEIA MAIS:

+ Mundial de Polo Aquático tem 64 x 0, com um gol a cada 30 segundos

+Ana Marcela fica em quinto no Mundial e vai a Tóquio

+ Por que canadense sofreu acidente durante salto no Mundial

Desde a frustrante eliminação nas oitavas de final do Mundial do ano passado, Mayra reagiu. Nos últimos oito meses, participou de oito competições do Circuito Mundial. Foi finalista de seis delas, incluindo dois Grand Slams. Com isso, chegou aos 6.239 pontos, contra 6.008 da holandesa Guusje Steenhuis, segunda colocada.

Também medalhista de ouro em Budapeste, o que garante 700 pontos, Rafaela Silva aparece no quinto lugar da categoria até 57kg. Ela fez seis finais no ano, em nove torneios. No top10 feminino o Brasil ainda tem Maria Portela em sexto na categoria até 70kg (ela perdeu a disputa pelo bronze na Hungria) e as pesadas Maria Suelen Altheman e Beatriz Souza em quarto e nono lugares da categoria para atletas de mais de 78kg.

Em Budapeste, Bia, de apenas 21 anos, foi melhor, terminando em quinto, enquanto Suelen foi a sétima. As duas são rivais por uma vaga olímpica. Pelo ranking que já computa os pontos com o devido peso pensando em Tóquio, Suelen tem vantagem ainda maior: 2.050 a 1.270 pontos. As duas vão ao Mundial, mas só Bia luta o Pan, que não vale pontos para o ranking.

No masculino, o destaque em Budapeste foi o sogipano João Macedo, de 27 anos, que disputou apenas sua terceira competição internacional adulta e ganhou a medalha de prata na categoria até 81kg. Ele é irmão de Rafael Macedo, revelação da categoria acima, até 90kg. Após a conquista, João subiu 98 posições de uma só vez para aparecer no 72º lugar do ranking, como terceiro melhor brasileiro – Eduardo Yudi é o 21º.

Entre todas as categorias masculinas, os brasileiros mais bem classificados são os pesados David Moura, em terceiro, e Rafael Silva, em quarto, separados por 302 pontos. No ranking olímpico, a vantagem de David é de 62 pontos, apenas. O Brasil ainda tem Eric Takabatake (até 60kg) e Daniel Cagnin (até 66kg) em décimo.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.