PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Baby sofre lesão e é cortado da seleção de judô que vai ao Pan

Demétrio Vecchioli

13/06/2019 15h55

Rafael Silva no Campeonato Pan-Americano (Rafael Burza/CBJ)

Principal nome do judô masculino brasileiro, Rafael Silva, o Baby, está fora dos Jogos Pan-Americanos de Lima, em agosto. O corte dele foi anunciado nesta quinta-feira (13) pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ), que explicou que o peso pesado machucou a mão direita durante um treinamento no Japão, na segunda-feira (10).

+ Judô renova seleção masculina inteira para o Pan de Lima
+ Brasil bate Cuba e é campeão pan-americano de judô

"Rafael Silva sofreu traumatismo na mão direita e os exames mostraram uma fratura no quarto metacarpo. Ele será avaliado e passará por exames complementares. Após a avaliação, o atleta será submetido ao tratamento cirúrgico", explica o médico Mateus Saito, que conduzirá a cirurgia na sexta (14).

Neste ano, o Mundial de Judô, em Tóquio, vai acontecer praticamente colado com os Jogos Pan-Americanos, com duas semanas de diferença entre o fim do torneio em Lima e o início da competição no Japão. Por conta disso, David Moura havia avisado que não estaria disponível para o Pan. Agora, com o corte de Rafael Silva, ele foi convocado.

A expectativa da CBJ é que Baby esteja apto a disputar o Mundial. Como o peso pesado é a última categoria a ser disputada, só no dia 31 de agosto, ele terá mais de dois meses e meio para se recuperar. Coincidentemente, em 2015 Rafael Silva também perdeu o Pan de Torono (Canadá) por lesão. David Moura foi convocado e faturou o ouro.

Os dois novamente travam disputa ponto a ponto para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos. Atualmente David Moura é o número 3 do ranking mundial, logo à frente de Baby. Quando a métrica é o ranking olímpico (que já descarta resultados obtidos antes de maio de 2018), Baby é o terceiro e David Moura o 13º.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.