Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Calderano leva virada de campeão olímpico e cai nas oitavas do Mundial

Demétrio Vecchioli

2025-04-20T19:09:26

25/04/2019 09h26

Hugo Calderano (Brasil) enfrenta Ma Long (China) no Mundial de Tênis de Mesa 2019, em Budapeste, na Hungria. Local: Hungexpo, Budapeste (Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br)

Não deu para Hugo Calderano. Na manhã desta quinta-feira (25), em Budapeste (Hungria), ele até saiu na frente do chinês Ma Long, vencendo o primeiro set, mas levou a virada a foi eliminado nas oitavas de final do Mundial de Tênis de Mesa. Nenhuma surpresa: o rival é, com folgas, o melhor da atualidade.

+ Rio usou R$ 134 milhões do legado olímpico para pagar enfermeiros
+ COB flexibiliza publicidade para atletas. O que isso significa?

O brasileiro, que é sétimo do ranking mundial, depois de passar meses em sexto, era um dos cabeças da chave do torneio e, por isso, só deveria enfrentar adversários mais bem qualificados que ele nas quartas. Mas Ma Long, ainda que seja o atual bicampeão mundial e campeão olímpico, joga pouco. É o 11º do ranking e. no sorteio, caiu na mesma chave que Calderano.

Isso acabou frustrando as esperanças do brasileiro de 22 anos de pela primeira vez disputar uma medalha em Mundiais. Ganhar de Ma Long era algo dificílimo. Calderano até começou bem o jogo, vencendo o primeiro set por 11 a 8, mas Ma Long logo se recuperou com 11 a 8. Nos dois sets seguintes, um atropelo: 11 a 1 e 11 a 3. No quinto set, Calderano jogou melhor, mas não teve jeito: mais um 11 a 8 e 4 a 1 no jogo.

De qualquer forma, essa é a melhor campanha de Calderano em Mundiais, igualando as melhores campanhas do Brasil no torneio – em 1961 e 1987, Biriba e Cláudio Kano, respectivamente, também chegaram longe assim.

Para os Jogos de Tóquio, a perspectiva é boa, porque na Olimpíada só podem jogar dois atletas da cada país. No Mundial, são cinco. Dos chineses, quatro chegaram às oitavas de final e três às quartas (porque houve um confronto direto entre eles). Também quatro sul-coreanos terminaram entre os 16 primeiros.

As oitavas de final tiveram algumas surpresas, como a eliminação do alemão Timo Boll, ex-número 1, pelo sul-coreano Woojin Jang. Outro coreano, Jaehyun An, só o número 157 do ranking, tirou a sensação japonesa Tomakazu Harimoto, de apenas 15 anos, que já é o quarto do mundo. Líder do ranking, o chinês Zhendong Fan caiu para o compatriota Jingkum Liang.

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.