Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Técnico da seleção de ciclismo e esposa são afastados após denúncias

Demétrio Vecchioli

2024-03-20T19:04:00

24/03/2019 04h00

Emerson Silva, técnico da seleção brasileira de ciclismo (Luis Cláudio Antunes/CBC)

A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) acatou pedido de boa parte dos principais ciclistas do país e afastou esta semana o casal responsável por toda a parte esportiva dentro da confederação. Além disso, passou a proibir que duas pessoas com grau de parentesco ou casadas possam exercer funções dentro da mesma área da CBC.

Emerson Silva, tido como próximo ao presidente José Luiz Vasconcelos, CBC como office boy e recebeu diversas oportunidades de se capacitar, incluindo estágio na Suíça. Desde 2014 era oficialmente o técnico-chefe do ciclismo brasileiro. Depois da Olimpíada do Rio, sua esposa, Ana Cláudia Stipanich Rodrigues foi contratada para atuar (em teoria) como sua superiora, no cargo de diretora de alto-rendimento da CBC.

Mas, como mostrou o Olhar Olímpico, havia uma forte reclamação por parte dos atletas de falta de planejamento. Os ciclistas alegam que, depois que Emerson, originário do ciclismo de pista, virou treinador, o foco da confederação se voltou para a pista. Enquanto isso, nas outras disciplinas, ciclistas reclamam da falta de critérios e de transparência nas convocações.

Uma petição online foi criada por Janildes Fernandes, veterana do ciclismo de pista, pedindo o afastamento do casal. De acordo com relatos ouvidos pela reportagem, Emerson passou a ameaçar os atletas, jurando que quem assinasse nunca mais seria convocado. O caso chegou ao Comitê de Ética, que recomendou o afastamento preventivo dos dois.

No mesmo documento em que notifica a decisão, a CBC comunica que não mais permitirá a contratação de parentes para atuarem numa mesma área, alegando "premissas básicas de compliance e observância do código de ética". Na semana passada, a mesma CBC disse "não via problema" no fato de o departamento ser comandado por marido e mulher, porque "as contratações são sempre feitas por meritocracia".

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.