PUBLICIDADE
Topo

Doria leva aliados para 'pelada' no Pacaembu antes de privatização

Demétrio Vecchioli

17/12/2019 04h00

João Doria no Pacaembu durante a campanha para prefeito

Principal responsável pela privatização do estádio do Pacaembu, o governador João Doria (PSDB) se despediu do equipamento público organizando uma pelada de final de ano entre aliados, no último sábado (14). De acordo com o governador, foram convidados prefeitos, deputados, secretários e presidentes de empresas públicas. Não houve pagamento de aluguel. Nas redes sociais, Doria publicou foto em que ele e os aliados faziam o "V" característico de sua campanha à prefeitura. 

A cessão do estádio municipal foi solicitada pelo governo do estado e aprovada pela Secretaria Municipal de Esporte (SEME) na quinta-feira (12), no penúltimo dia da gestão de Carlos Bezerra Jr (PSDB), secretário substituído por Maurício Bezerra Landim (PP) nesta segunda-feira (16).

A prefeitura autorizou a isenção de preço público com base em um decreto de 2001 que libera o aluguel sem custos para órgãos de administração direta da União, dos Estados e Municípios, para atividades de idosos e deficientes, eventos do calendário da SEME e, desde o mês passado, para atléticas universitárias.

O evento, restrito a convidados do governador, recebeu o nome de "Futebol Solidário" e, de acordo com o governo estadual, exigiu dos participantes a doação de uma cesta básica, destinada ao Fundo Social de São Paulo, ligado à primeira-dama Bia Doria. Segundo o governo, foram arrecadadas 180 cestas.

"Aqui nós temos prefeito, parlamentares, secretários de estado, dirigentes de estatais, aqui do governo do Estado de São Paulo. Todos solidários com o fundo social cuja presidente é a primeira-dama Bia Doria", disse Doria em um vídeo publicado no Facebook. O governador não jogou – alegou estar gripado.

Na sua agenda oficial, sua presença estava prevista para entre 17h30 e 18h30 no Pacaembu, ainda que a cessão fosse das 12h às 18h.

A prefeitura não respondeu a questionamento do blog sobre o valor de operação do estádio durante esse período. As 180 cestas têm valor de mercado de cerca de R$ 10 mil.

A "pelada" de fim de ano de Doria foi o penúltimo evento da história do Pacaembu como estádio público, seguido de um amistoso entre Youtubers no domingo (15). Depois disso, o gramado do estádio será renovado, como acontece todo fim de ano. Em 24 de dezembro, o Consórcio Patrimônio SP passa a dividir com a prefeitura a responsabilidade sobre o estádio. Depois, no dia 25 de janeiro, dia da final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o Pacaembu passa a ser administrado exclusivamente pelo concessionário.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.

Olhar Olímpico