Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Federação Paulista de Basquete dá camisinha como prêmio por título

Demétrio Vecchioli

31/10/2019 17h46

Envelope recebido pelo time campeão feminino (divulgação)

Os atletas que disputaram o torneio de 3×3 da Federação Paulista de Basquete (FPB) ontem (30) à noite, em São Paulo, esperavam receber premiação de até R$ 500 por equipe. Ao menos era isso que havia prometido a entidade. Quando os campeões abriram os envelopes gordos, porém, encontraram algumas notas de R$ 5 e diversas camisinhas.

Responsável pelo time vencedor do feminino, Sheila Gouvêa contou que seu time foi convidado ontem mesmo para o torneio com a promessa de premiação em troféus, medalhas e dinheiro, sendo R$ 500 para o campeão. "Pensando nisso, vimos a oportunidade da entrada de uma grana para pagamento das taxas dos times. Ao final do evento, fomos receber premiação e, para minha surpresa, ao abrir o envelope, havia somente 100 reais em notas de 5 e 12 camisinhas. Não entendi a premiação e fui questionar a responsável que nos convidou. Ela informou que o valor de R$ 500 era para ser dividido entre as equipes. No mesmo momento o masculino recebeu o prêmio e teve a mesma surpresa."

LEIA MAIS:

+ Globo avalia que transmitir eventos olímpicos brasileiros é 'tiro no pé'

+ Confederação de Basquete deixa 180 jovens sem Bolsa Atleta

+ Revezamento 4x100m do Brasil põe medalha no peito 11 anos após prova

A informação foi confirmada pela FPB, em nota. "A federação, com o apoio da Secretaria de Municipal de Esportes (SEME), realizou a etapa de ontem (quarta), a qual (sic) ocorreram limitações e adequações em razão do tempo e espaço, visando atender a todos os inscritos. Quanto à questão financeira, acompanhados (sic) de preservativos, foi uma iniciativa do diretor visando abrilhantar ainda mais as premiações", explicou a entidade.

"Me sinto desrespeitada por ter sido enganada em relação ao prêmio. Você não pode sair de casa para fazer algo e voltar com a sensação de ter sido enganada", reclamou. Segundo ela, uma jogadora da equipe torceu o tornozelo e precisou sair do torneio direto para o hospital. No fim, o dinheiro seria gasto no tratamento. 

A federação diz que a iniciativa do diretor Braz Haro "deve ser elogiada" e vista com "bons olhos"" porque ele "retirou do próprio bolso a remuneração aos vencedores, acoplando ainda a campanha de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis". "Para aqueles que não entenderam o direcionamento da campanha, pedimos nossas escusas e agradecemos pelas criticas recebidas, pois somente assim podemos aperfeiçoar e melhorar as próximas etapas", escreveu a FPB.

A nota assinada pela "diretoria técnica" não explica por que prometeu uma premiação de R$ 500 para o time campeão, R$ 320 para o segundo colocado e R$ 240 para o terceiro sem ter dinheiro para isso. Enyo Correia está sendo investigado pela polícia depois que foram encontrados boletos em nome da federação que remetiam pagamentos para uma empresa em seu nome.

Procurada, a SEME, que cedeu o espaço para a realização do torneio, disse que não tem qualquer envolvimento com o torneio. A pasta recentemente repassou R$ 45 mil para a Associação Nacional de Basquete de 3 organizar um campeonato no Parque das Bicicletas, onde fica a sede da secretaria.

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.

Blog Olhar olímpico