PUBLICIDADE
Topo

Prefeitura não fecha rua e ciclista escapa da morte na Volta de Guarulhos

Demétrio Vecchioli

28/10/2019 10h33

George Panara/MundoBici

Por muito pouco o esporte brasileiro não viu uma tragédia no domingo, durante a realização da Volta de Guarulhos, uma das principais voltas ciclísticas do país. Na falta de guardas de trânsito, um carro furou barreira que fechava a avenida Paulo Faccini e atropelou o líder da prova, Endrigo Rosa Pereira, que por milésimos de segundo não foi pego em cheio pelo veículo. No vídeo que já está rodando o mundo é possível ver um guarda municipal mexendo no celular.

Ainda que continue chamando "Volta Internacional da Cidade de Guarulhos", a prova organizada pela independente Associação Desportiva Facex não é mais internacional – apenas equipes brasileiras participam -, nem da cidade de Guarulhos. A segunda das três etapas foi levada para Pindamonhangaba, depois de seguidas negativas da Polícia Rodoviária, da prefeitura de Guarulhos e do DER. O prólogo teve um circuito de 1,5 quilômetros em Guarulhos e só a etapa final, domingo, de fato aconteceu na cidade da Grande São Paulo.


Puxado por Endrigo, ciclista que disputou os Jogos Pan-Americanos de 2015 com a seleção, o pelotão fazia um retorno enquanto veículos percorriam a via em alta velocidade. Um deles pegou no joelho do ciclista, que não teve tempo de se proteger. Ele teve a bicicleta "destruída", segundo relatos.

Revoltados, os demais ciclistas que estavam competindo decidiram também parar. Vencedor da segunda etapa, Rodrigo Araújo de Melo, de Pindamonhangaba, foi considerado campeão.  A reportagem está tentando contato com a prefeitura de Guarulhos, que vem sendo bastante criticada, nas redes sociais, pela comunidade do ciclismo. 

No começo do ano, em conversa informal com a reportagem, o organizador da prova, conhecido como Facex, expressou sua preocupação com a falta de apoio e com o risco e tirar do papel uma prova com tão pouco apoio de órgãos governamentais e de segurança. Ele, que também foi procurado pela reportagem e ainda não respondeu, vem sendo poupado de críticas pelos ciclistas. 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.