Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Marta ganha canal e será estrela de nova iniciativa do YouTube

Demétrio Vecchioli

24/09/2019 04h00

Marta (REUTERS/Phil Noble)

Mais reconhecida jogadora de futebol do mundo, Marta vai ganhar seu próprio canal de YouTube. A iniciativa partiu do Google, que é o dono da plataforma de vídeos mais popular do mundo e identificou, em pesquisas, que a brasileira era uma das celebridades mundiais com grande potencial de atrair fãs no YouTube. O anúncio oficial do novo canal acontece hoje (24), com a estreia programada para outubro.

O canal está sendo pensado pela Play9, gestora de canais de YouTube e de projetos de conteúdo que tem como sócios o youtuber Felipe Neto, o ex-diretor de Esportes do COB Marcus Vinicius Freire e o ex-diretor executivo de Esporte da Globo João Pedro Paes Leme.

LEIA MAIS:

+ Aniversário de Marta pode virar 'Dia do Futebol Feminino' em SP

+ Pacaembu deve seguir como casa do futebol feminino após concessão

+ Sem futebol, Lusa discute antecipar eleições e afastar presidente

"Nos últimos tempos, o Google tem buscado encontrar outras figuras públicas que possam ter relevância no YouTube e, por isso, começaram a olhar as figuras ligadas a esporte. A Marta estava entre os nomes mais cotados. Como a gente tem uma relação grande com eles por sermos criadores de conteúdo do YouTube, eles nos procuraram para fazer a aproximação com a Marta", explica Paes Leme.

A Play9 já nasceu com três dos maiores canais do YouTube no Brasil: Felipe Neto (34,4 milhões de inscritos), Luccas Neto (26,5 milhões) e Canal IN (dos dois irmãos, com 14,4 milhões). Recentemente, se lançou em um nicho pouco explorado do YouTube, os canais com conteúdos exclusivos de atletas. Exemplo de maior sucesso, Marcelo Twelve tem 1,2 milhões de seguidores.

"Se você olhar os primeiros canais do ranking, você dificilmente acha de uma atleta. Os canais dos esportistas, se forem mal feitos, vão interferir muito na rotina do atleta. O fato de eu ter convivido com tantos atletas me fez ciar um modelo que é o oposto: usar o tempo vago. Sem interferir na rotina, sem tirá-lo da concentração", explica Paes Leme. A primeira iniciativa da Play9 nesse nicho foi o canal do Vinicius Jr, com 110 mil inscritos em 20 dias.

A meta com Marta é ultrapassar a casa de 1 milhão de seguidores no segundo ano do canal. Para isso, a partir do terceiro mês serão publicados entre seis e oito vídeos por mês, em quatro "pilares". O canal promete ter os típicos programas de entretenimento, de "cultura youtuber", e voltados a comportamento. Nesses vídeos, o objetivo é conversar com o público em geral. Marta também deve falar de empoderamento e mostrar suas viagens.

"Estou muito feliz com a entrada no YouTube. Acho que vai ser uma oportunidade enorme de mostrar um pouco mais da minha carreira, dos bastidores e dos meus valores humanos para o público", disse Marta, em material enviado à imprensa.

"O canal da Marta será uma extensão do seu cotidiano (pessoal e profissional).  Nosso propósito não é um reality show e sim uma plataforma divertida de comunicação, interação, engajamento e mobilização", completa Fabiano Farah, empresário dela. A Play9 terá um videomaker/editor em Orlando para acompanhar as gravações com Marta, no mesmo modelo do que já é feito com Vinicius Jr em Madri. As pautas serão pensadas no Rio, onde fica a sede da empresa.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.