Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Mayra Aguiar cai na semifinal, mas se recupera e ganha bronze no Mundial

Demétrio Vecchioli

30/08/2019 08h20

Mayra Aguiar lamenta derrota na semifinal (Roberto Castro/Rede do Esporte)

Única brasileira líder do ranking mundial, Mayra Aguiar falhou na tentativa de faturar seu terceiro título do Campeonato Mundial. Nesta sexta-feira (30), em Tóquio, ela venceu três lutas por ippon, mas levou o contra-ataque e perdeu a semifinal para uma francesa. Depois, se recuperou e faturou a medalha de bronze vencendo a jovem portuguesa Patrícia Sampaio.

A medalha é a sexta da gaúcha de 28 anos em Campeonatos Mundiais. Ela foi ao pódio quatro vezes seguidas entre 2010 e 2014 e depois ganhou o ouro em 2017. No total, são duas douradas, uma prateada e três bronzeadas. Contando com os Jogos Olímpicos são oito pódios em 10 temporadas.

LEIA MAIS:

+ Confederação de basquete pode perder isenção tributária por má-gestão

+ Brasil pode perder medalhas por substância que era vendida livremente

+ Atletas militares terão que pedir autorização à Defesa para dar entrevistas

Em Tóquio, Mayra foi só a segunda brasileira a subir ao pódio, repetindo a medalha conquistada na terça-feira por Rafaela Silva na categoria até 57kg. Entre 14 brasileiros que já lutaram no Mundial, só as duas ficaram entre as oito primeiras de suas chaves, avançando às semifinais.

Nesta sexta, no penúltimo dia de competições individuais, Mayra venceu fácil Yahima Ramirez, de Portugal, e Sarah-Myriam Mazouz, do Gabão. Na terceira rodada, aplicou bonito ippon para vencer a kosovar Loriana Kuka, avançando à semifinal.

Aí, já no bloco da noite, ela fazia luta equilibrada contra Madeleine Malonga, da França, até que tentou um golpe e, já no chão, levou o contra-golpe, sofrendo o ippon. Na decisão do bronze contra Sampaio, que vinha de duas medalhas em Mundiais Junior, a vitória veio novamente com ippon, ainda no começo da luta. Malonga, depois, ficaria com o título.

Também hoje, Rafael Buzacarini fez a melhor campanha do judô masculino no Mundial ao vencer duas lutas. Na terceira rodada, porém, foi derrotado pelo azeri Elmar Gasimov, prata na Rio-2016. Eliminado nas oitavas, terminou em nono lugar.

O Brasil tem grandes chances de medalha no sábado, quando são disputadas as categorias pesadas. Lutam David Moura (terceiro do ranking), Rafael Silva (quinto), Maria Suelen Altheman (quarta) e Bia Soares (nona). Depois, no domingo, acontece a competição por equipes mistas. O Brasil estreia contra Alemanha e depois encara Portugal ou Azerbaijão por uma vaga na semifinal.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.