PUBLICIDADE
Topo

Morumbi vai receber seleção mundial do rúgbi em novembro

Demétrio Vecchioli

26/08/2019 14h05

The Barbarians

Um ano depois do amistoso contra a equipe de exibição da Nova Zelândia, os Maori All Blacks, o estádio do Morumbi vai receber outro grande time internacional. No dia 20 de novembro, o Barbarian FC será o adversário da seleção brasileira de rúgbi XV. Conhecido como 'The Barbarians', o time reúne a nata mundial da modalidade em uma espécie de Dream Team.

O jogo vai acontecer três semanas depois do encerramento da Copa do Mundo de Rúgbi, que começa no próximo dia 20 de setembro no Japão e vai até 2 de novembro. Os Barbarians se reúnem todos os anos em novembro, para jogar quase sempre na Grã-Bretanha. Desta vez serão três amistosos, contra Fiji, em Londres, em Twickenham (maior templo do rúgbi), e depois contra o País de Gales, em Cardiff, capital daquele país.

Entre um jogo e outro a equipe vem a São Paulo para um jogo incomum contra uma equipe que está longe da elite do rúgbi mundial: o Brasil é só o 26º do ranking e nunca disputou uma Copa do Mundo. Na última década, os Barbarians só fizeram um amistoso contra uma equipe tão mais fraca, anotando 71 a 0 na República Tcheca.

Diferente de outras modalidades coletivas, o rúgbi estimula a separação das seleções em três diferentes níveis. No grupo de cima estão Nova Zelândia, África do Sul, Inglaterra, Austrália, Irlanda, Argentina, França, Gales, Escócia e Itália. No segundo nível aparecem em destaque outras equipes da Oceania (Fiji, Tonga e Samoa), mas também Uruguai, Estados Unidos, Japão, Espanha e Rússia, por exemplo.

Quando os amistosos são combinados, são privilegiados os duelos entre equipes de nível semelhante. Buscando subir de patamar, o Brasil, hoje no terceiro grupo, recentemente jogou (e perdeu) de Espanha e Romênia, que estão no segundo nível. Em toda a sua história, o time brasileiro nunca enfrentou uma equipe do primeiro grupo, com exceção da Argentina, que costuma utilizar sua equipe de "desenvolvimento" em duelos contra o Brasil.

Daí a importância histórica do duelo contra os Barbarians, que costumam reunir os melhores jogadores do mundo. Por isso também a escolha pelo Morumbi, que recebeu 34.541 pessoas no duelo contra os Maori All Blacks no ano passado. Os ingressos já estão em pré-venda para clientes do Bradesco, patrocinador máster da partida.

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.