Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Barco vira e remador paraolímpico morre em treino antes do Mundial

Demétrio Vecchioli

22/08/2019 14h19

Dzmitry Ryshkevich, de Belarus (Detlev Seyb/ myrowingphoto/World Rowing)

O Campeonato Mundial de Remo, que começa no domingo, será realizado em clima de luto em Linz-Ottensheim, na Áustria. Na quarta-feira (22), um remador paraolímpico de Belarus morreu enquanto treinava no local da competição, em um braço do rio Danúbio.

Dzmitry Ryshkevich, de 33 anos, desapareceu de vista quando seu barco tombou no canal. De acordo com as autoridades locais, um barco de resgate com um salva-vidas chegou ao local imediatamente, mas o corpo do remador só foi encontrado três horas e meia depois, quando mergulhadores o encontraram no fundo do rio, perto de onde o barco virou. Á água no local, muito escura, tem visibilidade quase nula.

A World Rowing, federação internacional da modalidade, inicialmente pediu que não fossem feitas especulações sobre as causas da morte até que as autoridades locais cheguem a uma conclusão. Ryshkevich compete na classe PR1, na qual os atletas só podem mover os braços. As pernas são presas por um cinto. Por causa disso, no remo paraolímpico, os barcos têm um dispositivo que os impede de virar.

Nesta quinta, a World Rowing confirmou que a fixação do dispositivo, chamado pontão, foi quebrada, o que pode ter feito o barco virar. Mas as razões da quebra estão sob investigação. Sempre de acordo com a entidade, o remador conseguiu se desvincilhar do cinto de segurança e dos sapatos. Quando o bote salva-vidas o avistou, ele ainda se segurava ao barco. Depois, o soltou.

O atleta de Belarus, que já havia participado de dois Mundiais, foi à Áustria em busca de uma vaga nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio-2020 em agosto próximo..

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.