Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Britânicas perdem ouro e prata em teste olímpico por terminarem juntas

Demétrio Vecchioli

15/08/2019 11h18

(Reprodução/ITU)

Jess Learmonth e Georgia Taylor-Brown foram tão melhores que a concorrência no evento-teste do triatlo em Tóquio, nesta quinta-feira (15), que até fizeram festa na linha de chegada. As duas britânicas deram as mãos e chegaram juntas, mostrando que para elas não fazia diferença quem terminasse em primeiro, o importante era a dobradinha. Mas a brincadeira acabou eliminando as duas.

É que um regra do triatlo, exatamente a de número 2.11.f, proíbe que atletas propositalmente tentem terminar uma prova empatadas, fazendo nenhum esforço para que haja uma diferença de tempo. Quando uma prova termina empatada, as duas atletas recebem os pontos e a premiação relativas ao vencedor, e ninguém fica com a do segundo colocado. Por isso, o empate em primeiro seria bom para ambas.

A equipe britânica protestou, mas não teve jeito. Learmonth, que cruzou a linha de chegada em primeiro segundo o photofinish, foi eliminada junto com a colega. A boa notícia para a Grã-Bretanha é que Vicky Holland, que havia terminado em quinto, acabou com o bronze. A vitória ficou com Flora Duffy, de Bermudas, seguida da italiana Alice Betto, que herdou a prata.

Para o Brasil, duas grandes notícias. Vittoria Lopes, de apenas 23 anos, terminou na quarta colocação da prova, que contou com toda a elite do triatlo e foi realizada no mesmo circuito que receberá os Jogos Olímpicos daqui a um ano. Luisa Baptista também foi bem, completando na 11ª colocação. As duas foram prata e ouro na prova individual do Pan e ganharam o ouro no revezamento misto.

Com os pontos obtidos em Tóquio, elas dispararam no ranking olímpico, pulando para a 30ª (Vittoria) e 32ª (Luisa) posições. Só Vittoria subiu 19 posições de uma só vez. Hoje, ambas estariam na Olimpíada.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.