Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

CBB negocia com banco BRB e sonha com CT em Brasília

Demétrio Vecchioli

22/07/2019 19h42

(Paulo H. Carvalho/Agência Brasília)

A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) assinou nesta segunda-feira (22) um protocolo de intenções com o Banco de Brasília, conhecido pela sigla BRB, para que o banco ligado ao governo do Distrito Federal patrocine a entidade. Ainda não há perspectiva, porém, para que esse protocolo se torne de fato um contrato.

"O objetivo da assinatura deste Protocolo de Intenções é dar continuidade aos trabalhos que visam definir o escopo das ações em conjunto que serão feitas pela CBB, pelo Banco de Brasília (BRB) e pelo Governo do Distrito Federal para criar a Cidade do Basquete, em Brasília", disse o secretário-geral da CBB, Carlos Fontenelle.

LEIA MAIS:

+ COB corta flamenguista do Pan por doping e chama jovem de 16 anos

+ Lesão na coluna tira Nathalia Brígida do Pan e do Mundial de Judô

Presidente da confederação, Guy Peixoto não compareceu ao evento do qual também participaram o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, e o governador Ibaneis Rocha (MDB), além de secretários distritais.

Quase dois anos e meio depois de assumir a presidência da confederação, Guy ainda não conseguiu um patrocinador máster para a CBB. A confederação chegou a assinar um protocolo de intenções com a Caixa Econômica Federal, mas o acordo não foi para frente. Outros bancos também foram procurados, como o Bradesco, sem sucesso. Agora, as conversas com o BRB vêm de meses, ainda sem final feliz.

A confederação deve ao antigo Ministério do Esporte por prestação de contas rejeitada de convênio da gestão Carlos Nunes. Essa dívida coloca o CBB no Cadastro de Entidades Privadas Sem Fins Lucrativos Impedidas (CEPIM).

No evento desta segunda-feira, o BRB assinou contratos de patrocínio com o Flamengo e com o Universo/Brasília, equipes do NBB. Na falta de acerto para um contrato com a CBB, o banco e a confederação assinaram um "protocolo de intenções". 

A ideia é criar a "Cidade do Basquete" em Brasília. "O projeto será mais amplo do que simplesmente um patrocínio, dando condições para a criação do nosso próprio Centro de Treinamento. Esta união de forças vai ajudar na preparação dos selecionados nacionais de base e também auxiliará no desenvolvimento dos campeonatos de base, tanto de clubes, de uma forma mais ampla, como de seleções estaduais", complementou Fontenelle.

O governo do Distrito Federal pretende que tanto o Flamengo quanto a seleção brasileira realizem jogos como mandante no Distrito Federal. A expectativa é de que 30% dos jogos do clube e da seleção sejam em Brasília. Hoje, as seleções brasileiras não têm onde treinar. A CBB diz ter um "centro de treinamento" em Campinas, na Arena Concórdia, mas o local não conta com alojamento e, por isso, as seleções raramente treinam lá.

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.