Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Argentina esquece de tirar fones de ouvido e bate recorde na natação

Demétrio Vecchioli

12/06/2019 15h47

Delfina Pignatiello (Satiro Sodré/SSPress/CBDA)

Delfina Pignatiello bateu o recorde sul-americano dos 800 metros livre, mas está com vergonha de si mesma. Concentrada na final da etapa de Canet (França) do Mare Nostrum, ela nadou por 8min24s33 com fones de ouvido sem fio. Segundo ela, porque esqueceu de tirar.

"Eu apareci na Swim Swam News com os AirPods. Já estou envergonhada", postou ela no Twitter, em referência à reportagem do site norte-americano especializado que destacou o feito dela, apontando o uso dos tais fones de ouvido. Os objetos foram notados pela própria argentina quando a prova acabou e ela os tirou dos ouvidos.

No Instagram, ela explicou: "Sim, isso aconteceu. Sim, eles ainda estão funcionando. Não, eu não percebi que estava com eles. E não, não tinha nenhuma música tocando durante a minha prova. Melhor parte: PB (personal best) e recorde sul-americano".

Os fones são proibidos na natação, mas não foram notados pelos árbitros. Como ela não foi desclassificada, não deverá haver problema para a Federação Internacional de Natação (Fina) homologar a marca como novo recorde sul-americano. O antigo também era dela: 8min25s22, tempo que lhe valeu o ouro no Mundial Júnior de 2017.

Chamada pelo jornal argentino Clarín como "diamante" do esporte olímpico da Argentina, Delfina tem só 19 anos e foi campeã mundial júnior também nos 1.500m em 2017. No ano passado, foi prata nas duas provas de fundo nos Jogos Olímpicos da Juventude. Este ano, defendeu o Pinheiros no Troféu Brasil

Delfina mostra o fone de ouvido (reprodução)

Com o tempo que fez em Canet, ela é a sétima do ranking mundial nos 800m. Sua prioridade no ano, porém, não será o Mundial de Natação. Todo o foco do principal nome da natação argentina estará nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.