Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Doria e Covas alegam desconhecer motivos para GP Brasil ir ao Rio

Demétrio Vecchioli

2008-05-20T19:19:03

08/05/2019 19h03

O governador de São Paulo, João Doria, e o prefeito da capital paulista, Bruno Covas, ambos do PSDB, emitiram nota conjunta nesta quarta-feira (8) para comentar o anúncio, por parte do presidente Jair Bolsonaro (PSL), de que o Rio de Janeiro vai receber o GP Brasil de Fórmula 1 a partir de 2020. A cidade de São Paulo, porém, tem contrato para continuar sediando a prova ainda este ano e no ano que vem.

Bolsonaro diz que Rio receberá F1 em 2020 em futuro autódromo Ayrton Senna
+ Câmara do Rio acelera projeto ambiental que inviabiliza novo autódromo

"Há um contrato em vigor com a empresa responsável pela organização do GP Brasil de F1, válido até dezembro de 2020. A Prefeitura de São Paulo e o Governo do Estado de São Paulo desconhecem qualquer obstáculo que possa inviabilizar a renovação do referido contrato", disseram Covas e Doria, em nota.

No mesmo comunicado, os dois governos lembram que desde novembro de 2018, a Prefeitura de São Paulo atua para a renovação do contrato do GP Brasil de F1 na cidade de São Paulo, a partir de 2021. "Há convicção de que o bom entendimento vai prevalecer", ressaltam. 

São Paulo aposta na privatização do autódromo de Interlagos. O projeto de concessão foi elaborado durante a curta gestão Doria na prefeitura e mantido quando Covas assumiu o cargo. Atualmente, tramita na Câmara Municipal. "A concessão representa um importante ativo para a manutenção da área em sua proposta original, ou seja, o Autódromo Internacional de Interlagos", completa a nota.

Mais cedo, Bolsonaro um termo aditivo de cooperação com a iniciativa privada que levará a Fórmula 1 ao Rio de Janeiro em 2020. De acordo com o presidente, o novo autódromo do Rio será construído no bairro de Deodoro, na zona oeste da cidade, em "seis ou sete meses, sem dinheiro público" e terá o nome do tricampeão Ayrton Senna.

Em nota enviada ao UOL Esporte, a organização do GP Brasil em São Paulo rebateu o anúncio e reiterou o contrato vigente com a Fórmula 1 para manter a corrida em 2020 no solo paulistano.

"Há um contrato vigente para a realização do GP Brasil de Fórmula 1 com a cidade de São Paulo até 2020. E ambas as partes (Fórmula 1 e Prefeitura Municipal) continuam honrando seus compromissos. Em relação ao futuro do GP, a partir de 2021, estamos em fase de renegociação. Quanto ao autódromo, Interlagos é o único circuito da América do Sul 'Nivel 1', segundo a denominação oficial da FIA, apto à receber corridas de F1", posicionou-se a organização.

O anúncio de Bolsonaro foi feito ao lado do governador do estado, Wilson Witzel (PSC), e do prefeito da capital fluminense, Marcelo Crivella (PRB). No fim do ano passado, Witzel anunciou que tinha um acordo para levar a F1 ao Rio a partir de 2021.

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.