Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Brasil começa Pan de Judô com 5 medalhas; Sarah fica mais longe de Tóquio

Demétrio Vecchioli

25/04/2019 20h49

Sarah Menezes e Larissa Pimenta com suas medalhas no Campeonato Pan-Americano

Sarah Menezes vai precisar de uma dose de sorte ou de uma recuperação impressionante para estar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no ano que vem. Em competição chave nesta quinta-feira (25), ela não apenas perdeu para a também brasileira Larissa Pimenta nas quartas de final, como viu a rival de 20 anos conquistar pela primeira vez o título pan-americano. Além de Larissa, outros quatro brasileiros fizeram finais no primeiro dia do torneio, em Lima, no Peru.

Depois de identificar que Sarah Menezes vinha apresentando muita dificuldade de bater o peso da categoria leve (até 48kg), a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) defende desde o início do ciclo olímpico que a piauiense subisse de peso. Sarah até lutou na meio-leve (52kg) em 2017, mas baixou de novo em 2018. Atestando que Sarah colocava sua saúde em risco cada vez que precisava perder peso para lutar, a CBJ não deixou outra opção a ela senão fazer campanha olímpica na meio-leve em 2019.

Nessa sanfona, Sarah foi perdendo oportunidades de somar pontos no ranking mundial. Mesmo assim, foi convocada para o Pan, recebendo uma chance definitiva. Mas o sorteio colocou ela frente a frente com Larissa Pimenta já nas quartas. Arisca, a novata venceu com um wazari. Na repescagem, Sarah faturou o bronze.

Já Larissa, que vinha de quatro medalhas seguidas no Circuito Mundial, venceu mais duas lutas para ficar com o ouro e com 350 pontos extras no ranking olímpico, que considera cinco eventos de cada judoca mais continental ou Masters no primeiro ano (maio/18 a maio/19) e repete a fórmula no segundo ano. De 610, Larissa vai a 960 pontos. Sarah vai passar de 131 a 305. 

Como Sarah não vai ao Grand Slam de Baku (Azerbaijão), daqui a duas semanas, ela não tem mais como estar entre as nove brasileiras que serão convocadas para o Mundial de Tóquio (o critério é o número de pontos no ranking). No segundo semestre, precisará vencer de tudo para fechar o ano entre as 16 melhores do mundo e ir ao Masters. Enquanto isso, Larissa não apenas luta em Baku como estará no Japão, em mais duas oportunidades de disparar na frente. 

Todas as finais

O Brasil chegou a todas as finais do Campeonato Pan-Americano neste primeiro dia de competições, ganhando duas medalhas de ouro. Na categoria até 48kg, Nathalia Brígida perdeu na final para a argentina Paula Pareto, campeã olímpica. Rafaela Silva, na até 57kg, também acabou com a prata, derrotada pela canadense Christa Deguchi, número 2 do ranking mundial.

Entre os homens, ouro para Daniel Cagnin, uma das grandes promessas do judô masculino do Brasil para Tóquio. O atleta da Sogipa bateu o peruano Juan Postigos na final. Já Eric Takabatake chegou até a decisão, mas perdeu do equatoriano Lenin Preciado. Os resultados deixam ambos com relativas folgas sobre seus principais rivais internos por vagas olímpicas: Charles Chibana e Felipe Kitadai.

Na sexta o Brasil vai ao tatame com Alexias Castilhos (63kg), Maria Portela (70kg), David Lima (73kg), Lincoln Neves (73kg), Eduardo Yudi (80kg) e Rafael Macedo (90kg).

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.