Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Sete meses após operar, Bruno Fratus lidera ranking mundial

Demétrio Vecchioli

2021-04-20T19:18:39

21/04/2019 18h39

Bruno Fratus (Satiro Sodré/SSPress/CBDA).

Sete meses depois de passar por uma cirurgia no ombro e com apenas três meses de treinamentos, Bruno Fratus mostrou, neste domingo (21), que continua sendo um dos nadadores mais rápidos do mundo. Depois de voar nas eliminatórias, ele venceu os 50m livre no Troféu Brasil de Natação com o tempo de 21s47. É a nova melhor marca do ranking mundial de 2019.

+ CBDA convoca 20 e abre mão de medalhistas para o Mundial

Fratus, que faz 30 anos em junho, é o atual vice-campeão mundial da prova. No ano passado, ele ficou fora do Pan-Pacífico por conta de uma lesão e, já na reta final do ano, precisou operar o ombro. Voltou somente em março e, nos 100m livre, não conseguiu vaga para compor o revezamento 4x100m livre que vai ao Mundial, na Coreia do Sul. Assim, nos 50m livre era tudo ou nada.

E foi tudo. Depois de fazer 21s68 pela manhã, ele melhorou na final, com 21s47. Deixou para trás, no ranking mundial, o britânico Ben Proud, que venceu o campeonato nacional de seu país no sábado com 21s50. O italiano Andrea Vergani tem 21s53, mas a imprensa de seu país noticia que ele foi pego no doping por maconha após a prova em que estabeleceu a marca. O russo Vladmir Morozov (21s67) e o japonês Shinri Shioura (21s69), também campeões de seus países, vêm na sequência.

O grande rival de Fratus no Mundial da Coreia do Sul, porém, deve ser o norte-americano Caeleb Dressel, que ainda não deu seu melhor no ano. É que a seletiva dos Estados Unidos para o Mundial é a única, entre as principais, que ainda não foi realizada.

Marcelo Chierighini (22s05), Pedro Spajari (22s07) e Gabriel Santos (22s14) também nadaram abaixo do índice para o Mundial. Os três já estavam garantidos na competição. Como bateu em segundo, Chirighini também terá o direito de nadar os 50m livre na Coreia do Sul. No Troféu Brasil, ele fez a terceira melhor marca do ano nos 100m livre, obtendo o melhor tempo do Brasil na prova sem os trajes tecnológicos em todos os tempos.

O Brasil vai ao Mundial com ótimas chances de medalhas nos revezamentos 4x100m livre e 4x200m livre. Na prova mais rápida, a classificação de Fratus para o Mundial deve ajudar muito a equipe. Com ele a disposição, a comissão técnica passará a ter ao menos sete atletas para escalar nas eliminatórias e, depois na final: Fratus, Chirighini, Spajari, Gabriel, Breno Correia (2º colocado nos 100m livre), André Calvelo (quinto nos 100m livre, convocado para ser reserva) e João de Lucca (convocado para o 4x200m e sétimo nos 100m).

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.