PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Referência do basquete feminino no Brasil, Lais Elena morre aos 76 anos

Demétrio Vecchioli

12/03/2019 17h53

Lais Elena (Daniel Guimarães/Folhapress)

Faleceu nesta terça-feira (12), em Santo André, a técnica e ex-jogadora de basquete Lais Elena Aranha, aos 76 anos. Ela foi protagonista da geração que colocou o basquete feminino em evidência, na década de 1970, e, depois de se aposentar como jogadora, foi a pessoa por trás da mais longeva equipe feminina do país, em Santo André, no ABC Paulista.

"Esta pequena grande mulher foi e sempre será uma grande inspiração para nós que amamos basquete. De uma geração de atletas que enfrentou desafios, preconceitos e abriu portas para as futuras gerações. Incansável e vencedora como técnica, jamais deixou a bola cair e nos últimos anos deixou as quadras para se dedicar a gestão do basquete de Santo André. Laís, siga em paz! Sua missão foi cumprida com muita paixão e ética", lamentou a ex-jogadora Magic Paula.

Lais, que completou 76 anos na segunda-feira (11), estava internada na UTI do Hospital Brasil, em Santo André. Ela lutava contra um câncer de mama, sofreu uma convulsão na sexta-feira e, desde então, estava internada em quadro estável.

Nascida em Garça, no interior de São Paulo, Lais Elena foi armadora de destaque na seleção brasileira entre as décadas de 1960 e 1970. Ganhou cinco títulos sul-americanos e foi protagonista de dois dos grandes feitos do basquete brasileiro feminino em todos os tempos: o ouro no Pan de 1967 (primeiro título pan-americano do país, quatro anos antes dos homens) e o bronze no Mundial de 1971, disputado no Ibirapuera.

Em clubes, defendeu o Corinthians, mas fez história mesmo no Santo André, onde jogou por 11 anos. Em 1976, assumiu como técnica da equipe da base da cidade, oito ano antes de começar a comandar o time principal, sempre ao lado de fiel assistente, Arilza Coraça. Com Lais à frente da equipe, Santo André foi o único time a sobreviver aos altos e baixos da modalidade. Sob o comando dela, a equipe do ABC ganhou o Brasileiro de 1999 e a primeira edição da Liga de Basquete Feminino (LBF), em 2011. Revelou, entre outras, Janeth e Helen.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.