PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Número 2 do Esporte no governo Bolsonaro é exonerado após 20 dias

Demétrio Vecchioli

19/02/2019 10h00

Criada há 50 dias, a Secretaria Especial de Esporte, que nasceu para substituir o Ministério do Esporte, ainda não teve sequer seu segundo escalão todo nomeado. Mesmo assim, a equipe que começou o trabalho já sofreu alteração. Nesta terça-feira (19) foi publicada a exoneração do secretário-adjunto Marcello Martinelli, número 2 da pasta. Ele ficou apenas 20 dias no cargo.

A exoneração, assinada pelo ministro Onyx Lorenzoni (DEM), foi uma decisão do ministro da Cidadania, Osmar Terra (MDB), e não do general Marco Aurélio Vieira, que tem posto imediatamente superior ao de Martinelli.

A decisão parece ter caráter político. Martinelli chegou ao Ministério do Esporte ainda no governo Michel Temer (MDB), como um dos homens de confiança do então ministro Leonardo Picciani (MDB). Mesmo sem ter boa relação com Leandro Cruz (MDB), que substituiu Picciani, foi mantido na pasta, primeiro como chefe de gabinete, depois como vice-presidente da Autoridade Pública de Governança do Futebol. Depois, foi ele o presidente da Comissão de Transição do Ministério.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.