Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

CT que pegou fogo com Bangu é casa do esporte militar e custou R$ 58,2 mi

Demétrio Vecchioli

11/02/2019 19h04

Alojamento da UNIFA (Breno Barros/Brasil2016.gov.br)

O centro de treinamento que sofreu um incêndio nesta segunda-feira (11) enquanto alojava atletas do time de futebol do Bangu é uma das principais casas do esporte militar no Brasil. O local, inaugurado em 2016, é gerido pela Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA) e mais conhecido pelo nome do bairro onde está localizado: o Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro. Por conta do incêndio, dois jogadores foram hospitalizados. Ali treinam mais de 600 pessoas todos os dias.

Nomeado Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, o CT pertence à Universidade da Força Aérea (UNIFA) e foi inaugurado pouco antes da Rio-2016. Depois, cedido, por empréstimo, ao Comitê Organizador dos Jogos. Ali foram construídos uma piscina aquecida e coberta, dois ginásios, uma pista de atletismo e um hotel para 142 pessoas. No ano passado, se hospedaram lá militares de mais de uma dezena de países, que vieram ao Brasil disputar o Mundial Militar de natação.

As obras custaram R$ 58,2 milhões ao Ministério do Esporte, que, antes da Rio-2016, investiu quase R$ 150 milhões em centros de treinamentos ligados aos militares: o Campo dos Afonsos (da Aeronáutica), o Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEx), a Escola Naval, o Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan) e o Clube da Aeronáutica (Caer).

Antes da Olimpíada, o local foi a base de treinamento para a seleção brasileira de atletismo, que fez um camping fechado no local e utilizou o hotel. Já durante os Jogos passaram por lá, segundo a CDA, mais de 8 mil pessoas, sendo 3,6 mil atletas olímpicos, 2 mil atletas paraolímpicos e 2,4 mil treinadores e membros de comissões técnicas.

Em diversas ocasiões o local recebeu treinamentos da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), que chegou a montar um projeto social no local. Era o "Projeto de Identificação e Confirmação de Talentos no Atletismo", uma parceria com a CDA, suspenso no começo do ano passado, quando o Ministério do Esporte encerrou de forma unilateral um convênio com a CBAt.

De acordo com números publicados em e-book recém lançado pela CDA, em janeiro treinavam lá 600 atletas por dia, incluindo militares das três Forças. Também passavam por lá, todos os dias, 600 crianças em situação de risco. Só o "Futuro Olímpico" atende 150 crianças. O "Ideal Brasil", outras 250.

No ano passado, o Campo dos Afonsos recebeu o Mundial Militar de Natação. A competição recebeu um investimento de R$ 1,1 milhão do Ministério do Esporte, em convênio firmado com o Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa. A competição envolveu 131 atletas, de 12 países: Alemanha, Canadá, França, Índia, Iraque, Luxemburgo, Polônia, Rússia, Sri Lanka, Suíça e Ucrânia, além é claro do Brasil.

Também é lá que costumam ocorrer os exercício de adaptação dos novos atletas de alto-rendimento da Aeronáutica. Só no ano passado foram incorporados ali 41 novos atletas, de modalidades como basquete, ciclismo, ginástica rítmica, handebol, atletismo, natação, orientação, paraquedismo, taekwondo, triatlo, voleibol e maratona aquática. Competições como o Campeonato Brasileiro de Pentatlo Moderno também já foram realizadas ali.

Por fim, o Campo dos Afonsos também é utilizado como uma das principais bases do programa que é a menina dos olhos dos militares no esporte: o Programa Forças no Esporte (PROFESP).

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.