Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Atalho até Tóquio: Sarah Menezes sobe de peso após doping de promessa

Demétrio Vecchioli

01/02/2019 10h27

Pela terceira vez em três anos, Sarah Menezes vai mudar de categoria. A decisão foi tomada esta semana, em comum acordo com a Confederação Brasileira de Judô (CBJ), e deverá permitir que a piauiense tenha um caminho mais aberto para tentar uma vaga na Olimpíada de Tóquio. A nova categoria dela, até 52kg, perdeu Erika Miranda, aposentada, e deve perder Jéssica Pereira, suspensa provisoriamente por doping.

+ Maior revelação do judô é suspensa por doping e pode perder Olimpíada
+ Ex-assessor direto de Dilma ganha cargo no Esporte com Bolsonaro

Sofrendo para lutar contra a balança na preparação para a Rio-2016, quando lutou na categoria até 48kg, a mais leve do programa olímpico, Sarah abriu o novo ciclo em 2017 subindo de categoria e desafiando Erika Miranda na até 52kg, incentivada pela CBJ. Mas a estratégia não deu certo, Sarah não conseguiu resultados expressivos, e cansou do teste, voltando à 48kg em 2018. Agora, nova mudança de ano, mais uma mudança de categoria.

Em janeiro, Sarah passou por avaliações físicas, médicas e fisioterapêuticas no Laboratório Olímpico do COB, no Rio. Esta semana, se juntou a um treinamento conjunto da seleção feminina em Pindamonhangaba (SP), onde se reuniu com a comissão técnica. Ali foi acertada a mudança, também baseada no fato de a judoca continuar sofrendo para se manter nos 48 quilos, apesar da mudança para o Flamengo.

 

A piauiense de 28 anos vai perder todos os pontos da corrida olímpica conquistados em 2018, o que não é exatamente um problema. Em má fase, ela só somou 185. Está em um modesto 37º lugar, atrás de Nathália Brígida (34ª, com 220 pontos) e Gabriela Chibana (23ª com 438). Por meritocracia, seria de Chibana a preferência por uma convocação para o Campeonato Pan-Americano, que dá 700 pontos à campeã e 490 à vice. Nathália começou  a temporada com bronze em Tel Aviv (Israel), única medalha do Brasil no Grand Prix realizado na semana passada.

Ao subir de categoria, Sarah deve encontrar um caminho relativamente aberto na categoria até 52kg, onde Erika Miranda é ainda a sétima do ranking mundial, apesar de já aposentada, e Jéssica Pereira ocupa a nona colocação. As duas se enfrentaram pelo bronze no Mundial do ano passado, com vitória de Erika. Na quarta, a Olhar Olímpico revelou em primeira mão que Jéssica foi flagrada em exame antidoping e se colocou em suspensão voluntária. O tribunal brasileiro antidoping julgou recentemente três casos como o dela e em todos aplicou dois anos de suspensão.

A principal rival de Sarah por uma vaga olímpica deverá ser Eleudis Valentim, que só teve a oportunidade de disputar um evento na janela de classificação olímpica até agora, em Haia (Holanda), em novembro. Foi prata e somou 245 pontos. Jéssica tem 493.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.