Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Rival de Cielo, campeão olímpico revela câncer no testículo

Demétrio Vecchioli

25/01/2019 11h41

Nathan Adrian e esposa (reprodução/Instagram)

Um dos maiores nadadores da última década, o norte-americano Nathan Adrian está encarando o maior desafio de sua vida. O astro de 30 anos usou o Instagram para revelar que descobriu recentemente estar com câncer no testículo. Mas afirmou que, enquanto trata a doença, vai continuar treinando visando uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

+ Exército recruta jogadores profissionais e planeja jogar o Carioca
+ Doria quer desengavetar concessão do Ibirapuera, mas depende da prefeitura

"A vida, assim como nadar os 100m livre, pode se apresentar dura e veloz, enquanto não se pode prever quem, ou o que, pode lhe perseguir. Recentemente, fui ao médico, já que alguma coisa em mim não parecia estar muito bem. No mínimo, eu ainda precisava tomar meu remédio para a gripe. Depois de alguns testes e visitas a um especialista, infelizmente descobri que tenho câncer nos testículos. Pelo lado positivo, nós o pegamos cedo, e eu já iniciei o tratamento e o prognóstico é bom", postou Adrian.

Aos 30 anos, Adrian foi, no auge, um dos principais rivais de Cesar Cielo. Em Pequim-2008, foi ouro com o revezamento 4x100m livre dos Estados Unidos. Em Londres-2012, ganhou os 100m livre e o 4x100m medley. No Rio, não só ajudou a equipe americana a faturar os dois ouros nos revezamentos como foi ao pódio nas duas provas individuais que disputou: bronze tanto nos 50m quanto nos 100m livre.

No total, são oito medalhas olímpicas e 13 em Mundiais de Natação, incluindo quatro em Budapeste, em 2017. Apesar da idade, considerada alta para um velocista, Adrian continuava confiante de que se classificaria para sua quarta Olimpíada. E nada mudou depois de descobrir o câncer, apesar de uma cirurgia marcada para a semana que vem.

"Voltarei para a água em algumas breves semanas com meus objetivos totalmente voltados para Tóquio. No caminho, espero compartilhar minha jornada em um esforço para quebrar o estigma de discutir problemas de saúde entre os homens. Eu percebi que muito frequentemente nós tendemos a evitar esses importantes assuntos, ignorar os potenciais sinais de alerta e descartar recorrer à ajuda médica de que podemos precisar", continuou Adrian, no Instagram.

Formado em saúde pública pela Universidade da Califórnia, em Berkeley, em 2012, o nadador disse que terá que colocar sua formação para funcionar um pouco antes do que planejava. "Estou mantendo uma atitude positiva, já que casos como os meus são curáveis", completou.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.