Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Nathália Brígida abre temporada do judô brasileiro com bronze

Demétrio Vecchioli

24/01/2019 16h31

Nathália Brígida no pódio em Tel Aviv (divulgação)

Rival de Sarah Menezes por uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Nathália Brígida foi a única brasileira a subir ao pódio no Grand Prix de Tel Aviv (Israel) e, também, na temporada 2019 do Circuito Mundial. A judoca da categoria até 48kg faturou o bronze em seu retorno às competições internacionais depois de  mais de dois anos afastada dos tatames recuperando-se de cirurgia no ombro.

"É uma conquista muito importante para mim nessa minha volta às competições internacionais depois de um tempinho parada pela cirurgia. E também é uma honra ser a primeira medalha do Brasil no ano. Espero que, não só a minha medalha, mas que seja um ano vitorioso para o judô brasileiro", comemorou Brígida.

A categoria até 48kg deve ter uma disputa acirrada entre as judocas brasileiras por uma vaga em Tóquio, depois de Sarah Menezes ser a representante do país em três edições seguidas da Olimpíada. Gabriela Chibana hoje está na frente nesta briga, com 438 pontos somados em cinco torneios no ano passado. Sarah Menezes foi a três eventos e somou 185. Vai ser ultrapassada por Nathália, que ganhou 300 com a medalha desta quinta.

Para subir ao pódio em Israel, a brasileira derrotou a italiana Sofia Petitto e a romena Alexandra Pop por ippon. Na quartas, foi vencida pela húngara Eva Csernoviczki, bronze em Londres. Na repescagem, Nathália superou a israelense Noa Minsker e a eslovena Marusa Stangar.

Outros judocas brasileiros não foram bem. Felipe Kitadai (até 60kg) caiu na segunda rodada, para o russo Albert Oguzov, e Diego Santos (66kg) foi superado, também na segunda luta, por Shakhram Akhadov, do Uzbequistão. Na sexta, lutam Ketleyn Quadros (63kg) e Alex Pombo (73kg). A competição ainda terá as categorias mais pesadas no sábado. 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.