Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Cielo fica em último e evita comentar futuro; Etiene cai de bloco em semi

Demétrio Vecchioli

14/12/2018 10h24

Cesar Cielo saiu da semifinal dos 50 metros livre, quinta-feira em Hangzhou, na China, dizendo que brigaria por medalha. Mas na final do Mundial de Piscina Curta, nesta sexta-feira (14), o brasileiro mostrou mais uma vez que já não é o mesmo e fechou a raia, como é gíria na natação. Ou seja: ficou em último.

Em uma prova muito abaixo do que está acostumado, bateu no oitavo e último lugar, com o tempo de 21s20, a 26 centésimos do pódio e distante dos 20s98 que havia feito no Troféu José Finkel, seletiva para este Mundial. Sua classificação final, porém, foi o sétimo lugar, uma vez que o britânico Benjamin Proud foi desclassificado por falsa largada.

Após a final dos 50m livre, em entrevista ao SporTV, Cielo fez questão de dizer que "ainda" não irá anunciar seu futuro na natação. Ou seja: se continua como nadador na próxima temporada. Pelo resultado ruim na prova mais curta, que é sua preferida, a tendência é que ele nem nade os 100m livre, que tem eliminatórias no sábado.

Também na entrevista ao SporTV, Cielo disse que está ansioso pelo revezamento de sábado: o 4x50m medley masculino, prova em que, na opinião dele, o Brasil tem mais chances de medalhas. O time deve ser formado por ele no nado livre, Nicholas Santos no borboleta, Guilherme Guido no costas e João Luiz Gomes Jr no peito.

Cielo já conquistou uma medalha neste mundial, de bronze, no revezamento 4x100m livre, no primeiro dia de competição. Não fez uma grande prova e entregou em quarto lugar para Breno Correia, que ultrapassou a Itália e levou o Brasil para o terceiro lugar. Depois, na quarta-feira, foi quinto com o Brasil no 4x50m livre misto.

Etiene escorrega e é eliminada na semifinal

Campeã mundial nos 50 m costas em 2014, Etiene Medeiros amargou uma enorme decepção em Hangzhou. A brasileira escorregou no bloco de partida pouco antes da largada, ainda tentou se recuperar, mas terminou a segunda semifinal em último lugar, com o tempo de 26s91. A vencedora da bateria foi a norte-americana Olivia Smoliga, com 26s06.

"Na verdade eu cai do bloco e não consegui reagir. Acho que passei bem forte, mas ainda estou sem reação. Esse tipo de coisa acontece. Estou bem triste, não tem palavras. Não tem desculpa", disse Etiene ao Sportv.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.