Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Cesar Cielo vai à final dos 50m livre e revezamento decepciona no Mundial

Demétrio Vecchioli

13/12/2018 11h43

Cesar Cielo vai brigar por mais uma medalha nos 50m livre em Mundiais. Nesta quinta-feira (13) em Hangzhou, na China, ele nadou mal as eliminatórias pela manhã, quase foi eliminado, mas avançou às semifinais e, depois, à tarde, também à final. A prova decisiva vai acontecer na sexta-feira (14).

Pela manhã, Cesão fez só o 15º tempo: 21s39 e avançou por pouco. Na semifinal, foi melhor, baixando para 21s06 e passando em sexto. "Senti que errei um pouco a saída, mas consegui recuperar bem na virada. Me senti melhor do que pela manhã. Agora vou descansar para a final de amanhã (sexta). Vamos ver o que pode acontecer. É uma final de Mundial, quem sabe posso sair com mais uma medalhinha daqui", falou na saída da piscina.

Brigar pelo ouro é uma meta improvável. Na semifinal, Caeleb Dressel bateu o recorde norte-americano e igualou a melhor marca das Américas, do próprio Cielo: 20s51 – o recorde mundial é 20s26 do francês Florent Manaudou, de 2014. Minutos depois, na final do revezamento 4x50m medley misto, Dressel nadou a perna dele em 20s09, prova mais rápida de todos os tempos. Por ter largada lançada (o que reduz o tempo de reação no bloco), a perna de revezamento é naturalmente mais rápida que uma prova de 50 metros.

O Brasil tinha grandes esperanças em subir ao pódio do 4x50m medley misto, porque a equipe tem dois recordistas mundiais: Nicholas Santos, dos 50m borboleta, e Etiene Medeiros, dos 50m costas. Além deles, Larissa Oliveira em boa fase nos 50m livre e João Luiz Gomes Jr, que já foi medalhista dos 50m peito. Mas o time nadou mal pela manhã e nem pegou final – ficou em nono nas eliminatórias.

De forma geral, o dia não foi bom para a natação brasileira, que só tem uma medalha no Mundial até aqui: bronze no 4x100m livre masculino. Matheus Santana nem passou das eliminatórias dos 50m livre (fez 21s71 e terminou em 26º) e o jovem Caio Pumputis, 19 anos, parou em 14º nas eliminatórias dos 200m peito, com 2min05s00 – no Troféu José Finkel, ele fizeram 2min03s27, o que seria mais do que suficiente para uma vaga na final.

Com isso, o Brasil não disputou finais nesta quinta. Nas semifinais, o próprio Caio Pumputis foi bem nos 100m medley e passou para a final com o quinto tempo: 52s15. Nesta prova, Diego Prado parou na semifinal, com o 16º tempo. Nos 50m borboleta, Daiene Dias foi 15ª, com 26s05, e também está fora da briga por medalhas.

Na sexta, além de Cielo e Pumputis, Guilherme Guido também fará final, desta vez dos 50m costas, depois de marcar 23s00 e ser o quinto das semifinais – Guilherme Bassetto parou em 13º. Para sexta, também há expectativa pelo que podem fazer os revezamentos 4x200m e 4x50m livre masculino. O dia também será de eliminatórias e semifinais dos 50m costas feminino e dos 50m borboleta masculino, de Etiene e Nicholas.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.