PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Maior site de estudos sobre futebol é hackeado após defender democracia

Demétrio Vecchioli

18/10/2018 20h03

Imagem inserida no site pelos hackers

O maior site acadêmico sobre o futebol brasileiro, que reúne textos dos principais estudiosos do país sobre o tema, foi alvo de dois ataques cibernético: um na segunda e outro nesta quinta-feira (18). Desta vez, o Ludopédio, ligado à Universidade de São Paulo (USP), teve seu conteúdo retirado do ar e substituído por uma imagem característica do grupo

Os ataques acontecem depois de um editorial, publicado no Facebook, em que os acadêmicos se posicionaram contra Jair Bolsonaro após falas de Felipe Melo defendendo o candidato e de um grito da torcida do Atlético-MG contra a do Cruzeiro afirmando que Bolsonaro iria "matar veado".

 

"Caros palestrinos, devemos agir contra a apologia ao símbolo do fascismo tropical praticado pelo atleta FM (Felipe Melo). À massa atleticana: combata com energia os subdesenvolvidos fascistóides que mancharam a história de um dos maiores clássicos do mundo. Aos demais torcedores, audiência extraordinária do Ludopédio, sabedoria e força no enfrentamento. Não pisem em falso na batalha dos algoritmos. Evitem as menções objetivas. E metam o pé, de bico ou de trivela, nos boçais da ocasião", escreveu o Ludopédio na ocasião.

Além disso, o site publicou textos de dois pesquisadores que associavam o futebol ao atual ambiente político. Em um deles, Leda Costa dizia ser preocupante que poucos sejam capazes de defenderem opiniões menos conservadoras. Em outro, Flávio de Campos lembrava a história da participação de jogadores de futebol no debate político para defender a democracia.

Após o primeiro ataque, os editores do Ludopédio reclamaram que não apenas o site foi invadido e teve seu conteúdo apagado, com os e-mails relacionados ao site suspensos. "Há tempos nossa página no Facebook tem recebido mensagens de intolerância. Desconfiamos que a ação de tirar o site do ar seja fruto da insatisfação de alguém e/ou algum grupo pouco afeito ao debate e às práticas democráticas, uma vez que parte das colunas veiculadas questionam as relações desenvolvidas entre futebol e política. Sinal dos tempos atuais", escreveram os editores, na ocasião.

O site voltou ao ar e, nesta quinta-feira, mais uma vez foi derrubado. Desta vez, os invasores deixaram apenas a imagem que ilustra este post. A máscara é o simbolo do grupo anonymous, considerado os hackers mais famosos do mundo.

"Condenamos toda e qualquer tipo de discriminação. Dizer isto nos dias atuais gera incômodo a alguns. Ter opinião incomoda. Não há diálogo. Há ataques. Logo estaremos no ar novamente e seguiremos firmes em nossa defesa pela democracia e pelos direitos humanos", prometem os editores, que culpam o cenário eleitoral "de grande intolerância e violência". "Reforçamos o nosso posicionamento: somos a favor da democracia."

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.