Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Gabriel Constantino bate recorde dos 110m com barreiras e vira 8º do mundo

Demétrio Vecchioli

19/06/2018 20h49

Gabriel Constantino, novo recordista sul-americano dos 110m com barreirasVale a pena anotar esse nome: Gabriel Constantino. O corredor de 23 anos bateu nesta terça-feira o recorde sul-americano dos 110 metros com barreira. Em um meeting na França, ele foi medalhista de prata com 13s23, melhorando em quatro centésimos o antigo recorde da América do Sul, que pertencia a um colombiano, e em seis centésimos a marca feita por Redelem Melo em 2004.

O resultado é expressivo porque os 110m com barreiras não tem sido uma prova relevante para o atletismo brasileiro. Basta ver que, em 2016, anos de Olimpíada, Gabriel liderou o ranking nacional com 13s50. Numa prova de velocidade, 27 centésimos são uma eternidade.

Gabriel vem fazendo um grande ano, desde a temporada indoor, quando foi finalista dos 60m com barreiras e igualou o recorde sul-americano da prova. Em abril, ele marcou 13s38, melhor marca de um brasileiro em mais de uma década. Ou seja: o resultado desta terça não é um ponto fora da curva.

Nem é um resultado expressivo apenas no contexto local. A marca é a oitava melhor da temporada, que já está pela metade, assim como teria garantido uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio, por exemplo. Em um ano sem grandes competições, o mais importante é que abre a ele portas para participar de eventos internacionais, entre meetings e etapas da Diamond League.

Mas não foi só Gabriel que correu bem em Montreuil, na França. O velocista Paulo André de Oliveira fez 10s10 nos 100m, quarta melhor marca do país nos 100m. Melhor desde 1999, quando André Domingos marcou 10s06.

Paulo André tem tudo para ser o primeiro brasileiro a correr os 100m na casa de 9 segundos. Ele tem apenas 19 anos e já havia feito 10s13 no mês passado. Nos últimos dois anos, Paulo André melhorou oito décimos de segundo por temporada. Se continuar nesse ritmo, ele deve se aproximar de quebrar a barreira dos 10 segundos na temporada que vem.

Ainda que o brasileiro tenha deixado de ser da categoria sub-20 no ano passado, uma vez que completa 20 anos em 2018, vale citar que, desde 2015, apenas dois corredores sub-20 correram abaixo de 10s10 no mundo. Entre os velocistas de 1998, ele é o terceiro melhor da temporada.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.