Blog Olhar Olímpico

Verba de meio bilhão tirada do esporte vai ampliar prêmio da Mega Sena

Demétrio Vecchioli

13/06/2018 04h00

(Valter Campanato/Agência Brasil)

Até domingo, a cada 10 reais apostados na Mega Sena, R$ 4,53 eram transformados em premiação. A partir do ano que vem, essa cota vai subir para 5,00 reais. Uma diferença que aparenta ser irrisória, mas que, no fim das contas, vai aumentar em cerca de R$ 725 milhões o montante de prêmios das loterias federais a cada ano – de R$ 6 bi para R$ 6,8 bi. Afinal, para aumentar a premiação, pela polêmica Medida Provisória 841, o governo federal retirou verbas substanciais do setor. Segundo dados do Ministério do Esporte, a perda total do setor é de R$ 514 milhões e um dos que irá mais sentir é o escolar.

Para ampliar a premiação da Mega Sena e de outras loterias de prognóstico esportivo (ou seja, de sorte nos números), o governo precisou mexer na distribuição da receita de venda de bilhetes. Nesse tipo de loterias, o Ministério do Esporte ficava com 2,5% da arrecadação bruta (R$ 310 milhões). Em 2019, ficará com apenas 0,66% (R$ 81 milhões). O Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) perde sua fatia de 0,5% (62 milhões), enquanto as secretarias estaduais deixam de ficar com 1,5% (R$ 186 milhões). Essa verba era usada para incentivar o esporte escolar. Levando em consideração apenas a arrecadação das loterias como a Mega Sena, o COB ainda perdeu 0,07 pontos percentuais, enquanto o CPB perdeu 0,04 pontos percentuais.

Somando tudo, a perda do esporte é de 3,95 pontos percentuais. Uma taxa que ajuda a ampliar a premiação das loterias em 4,70 pontos percentuais. Na prática, isso significa que o dinheiro que sai do esporte está indo para aumentar o prêmio das loterias, especialmente a Mega Sena, campeã em apostas.

Leia também: Ministro critica MP de Temer: “Colocou o esporte para escanteio”

Só para o Ministério do Esporte o prejuízo é de R$ 235 milhões ao ano, o que representa quase 30% do orçamento anual da pasta. A tendência é que uma nova Medida Provisória, nos próximos dias, reative a exigência de que o COB e o CPB destinem 10% do que recebem à CBDE (esporte escolar) e 5% à CBDU (esporte universitário). De forma geral, esse sistema perderá R$ 16 milhões ao ano.

Ao divulgar a MP, na segunda-feira, o governo apostou na narrativa de que estava tirando recursos especialmente do esporte para aplicar em um novo Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), que nasce com uma previsão de arrecadar R$ 994 milhões no ano que vem. As contas, vale ressaltar, foram feitas por técnicos do Ministério do Esporte.

Opinião: Se esporte deu passo a frente com Olimpíada, MP de Temer dá 2 passos atrás

O esporte, na verdade, porém, não é maior prejudicado pela MP. O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) ficava com 7,76% da arrecadação bruta das loterias como a Mega Sena. No total, recebeu R$ 971 milhões no ano passado. A partir desta segunda-feira, só ficará com os prêmios não reclamados pelos apostadores. O Fundo Penitenciário (Fupen) viu sua cota ser reduzida de 3,14% para 2%, enquanto o Fundo Nacional de Cultura (FNC) caiu de 3% para 0,50%, num impacto total de R$ 319 milhões.

São especialmente as perdas desses três fundos que financiarão o novo Fundo Nacional de Segurança Pública, que nem é o maior beneficiado pela MP. As contas feitas pelo Ministério do Esporte mostram que o grande impacto está na gestão das loterias. Pelas antigas leis, havia uma “comissão dos lotéricos”, de 9% no caso da Mega Sena. Essa comissão deixa de existir pela MP, em um impacto estimado em R$ 1,1 bilhão. Esse montante agora entra no bolo de “despesas de custeio e manutenção do agente operador dessa modalidade lotérica”. Ou seja: fica com a Caixa Econômica Federal.

De qualquer forma, o esporte parece ser, no momento, o setor mais unido contra as mudanças impostas pela MP, que precisa ser votada pelo Congresso em até 120 dias para não perder validade. Tanto que, na terça-feira, 59 entidades, incluindo comitês, confederações e comissões de atletas, soltaram dura nota criticando a MP. Na sequência foi o Ministro do Esporte, Leandro Cruz, que fez o mesmo.

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Topo