Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Sesi-SP monta time de basquete feminino e estará nas 4 ligas nacionais

Demétrio Vecchioli

28/05/2018 04h00

 

O Sesi de São Paulo será o primeiro clube de país a estar, concomitantemente, nas quatro principais ligas nacionais, de vôlei e basquete. Depois de firmar parcerias com o Franca, no basquete masculino, e com Bauru no vôlei feminino, o Sesi também se entendeu com a prefeitura de Araraquara, no interior do Estado, para a manutenção de uma equipe de basquete feminino.

O Sesi e a Fundesport (fundação municipal de esportes de Araraquara) são parceiros desde pelo menos o começo da década, mas só agora o projeto passa da base ao adulto, aproveitando o trabalho do técnico André Carrascoza, que no ano passado levou a equipe da cidade ao bronze nos Jogos Abertos do Interior.

A ideia é que o time, que tem como coordenadora a ex-pivô Roseli Gustavo, dispute a edição 2019 da Liga de Basquete Feminino (LBF) com o nome de "Sesi Araraquara Basquete Feminino". Em março, Roseli inclusive participou das reuniões de apresentação do planejamento da liga para os próximos dois anos.

"Estamos montando um time forte e bem preparado para os campeonatos. Esperamos que a cidade realmente abrace essa equipe. Além da competição, queremos que o time dissemine o exemplo de respeito e união, para que as meninas olhem essa equipe como um espelho, pois as mulheres estão conquistando seu espaço, mas ainda há muito a lutar e conquistar", disse a ex-pivô.

A chegada de Araraquara ao basquete de alto-rendimento é importante para a modalidade porque também fortalece o Campeonato Paulista, que chegou a não ser disputado por falta de equipes em 2016. Para a edição 2018, além de Araraquara, também já está confirmada a participação de um novo time de Sorocaba.

No LBF 2018 participaram outros seis times paulistas: Vera Cruz/Campinas (está na final contra o Sampaio Corrêa), Santo André, São Bernardo, Ituano, Catanduva e Presidente Venceslau. Além deles, jogaram o Blumenau, de Santa Catarina, e o Uninassau, do Maranhão.

 

Com oito times e sem divisão de acesso, a LBF ainda é a menor das quatro "grandes ligas". O NBB10 teve 15 times, além de outros nove na Liga Ouro (segunda divisão). A Superliga contou com 12 equipes tanto no masculino quanto no feminino, além de outros oito times masculinos e seis femininos na Superliga B.

A LBF também a única a não contar com os principais clubes sociais ou de futebol do país. O Pinheiros, por exemplo, tem equipes de vôlei feminino e basquete masculino, enquanto o Minas Tênis Clube está nas três demais ligas. Flamengo, Vasco, Botafogo, Fluminense, Corinthians, Vitória e Cruzeiro tiveram equipes em pelo menos uma das ligas, enquanto na LBF o principal time de "camisa" foi o Sampaio Corrêa.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.