Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Parceria com Jamelli faz Santos sonhar com time no NBB com "custo zero"

Demétrio Vecchioli

23/05/2018 19h00

Rossi Rollo Jamelli

Orlando Rollo (vice-presidente do Santos), Rossi (presidente da LNB) e Jamelli

O tradicional uniforme branco do Santos pode estar presente na 12ª edição do Novo Basquete Brasil (NBB), na temporada 2019-2020. O clube santista está em negociações avançadas com uma associação presidida pelo ex-jogador Jamelli para montar um time de basquete profissional e participar da Liga Ouro, divisão de acesso nacional, a partir do início do ano que vem.

Diferente do Corinthians, que disputa a Liga Ouro com um time próprio, o Santos tem negociações avançadas para que sua equipe de basquete seja inscrita pela Associação Ponto Positivo, que terá o "licenciamento da marca Santos" – ou seja, poderá usar a camisa santista. A proposta é que o acordo, que vem sendo costurado há três meses, também envolva a Fundação Pró-Esportes de Santos (Fupes), fundação municipal responsável pelo gerenciamento das equipes esportivas ligadas à prefeitura, e outros clubes da cidade.

"A ideia é envolver outros clubes da Baixada Santista para fazer um projeto grande, robusto, e criar a cultura do basquete, que sempre foi forte em Santos. Ainda é um negócio muito no começo, que tem muitas pessoas, muitas entidades envolvidas. Vamos sentar com o Inter ainda, mas temos interesse de fazer, de se ajudar de várias manteiras. Precisamos fazer uma coisa sustentável", explica Jamelli.

O ex-jogador disse que, por questões contratuais, não poderia dizer quem vai arcar com os custos do time. Vice-presidente do Santos, Orlando Rollo garantiu que não será o clube da Vila Belmiro. "Temos um projeto em que o Santos terá custo zero. A modalidade será financiada através de uma parceria que captará os patrocinadores necessários", contou, explicando que o Santos deverá fornecer estruturas como de academia e de fisioterapia. Além disso, seria responsável por firmar convênio com a prefeitura para que o time possa jogar na Arena Santos, como já aconteceu quando o clube manteve um time de futsal.

A cidade tradição da cidade de Santos no basquete existe em torno do Internacional, o "Vermelhinho", que disputa as divisões de base do Campeonato Paulista e, no passado, chegou a fazer parte da Liga Nacional de Basquete (LNB), organizadora do NBB, participando da Liga de Desenvolvimento.

O Santos é novato no ramo e aposta na parceria com Jamelli. O ex-jogador foi gerente de futebol do Santos e hoje comanda uma empresa de marketing esportivo que criou um bem-sucedido programa de sócio-torcedor para clubes médios e pequenos (Ituano, CRB, Novorizontino, São Bernardo), escolas de samba (Salgueiro, Vai-Vai, Tatuapé) e times de outras modalidades. Entre elas, Mogi e Bauru Basket.

Participando também da organização das últimas três edições do Jogos da Estrelas do NBB, Jamelli foi convidado a sentar com o Santos e a Liga. E daí surgiu a proposta que hoje está em "estágio avançado" para que um time seja formado e inicie a Liga Ouro em fevereiro de 2019. O São Paulo também tem interesse de entrar nessa briga e discute com o NBB seguir o mesmo caminho do rival praiano.

O Corinthians está passando exatamente por esse caminho, que também já foi percorrido por Botafogo (em 2017) e Vasco (em 2016). Ambos foram campeões e conseguiram o acesso, restrito a campeão e vice. Na atual temporada, o Corinthians fez a melhor campanha da fase de classificação e já está na semifinal. Pega quem vencer de Macaé x Unifacisa, da Paraíba. Do outro lado da chave, o favorito é o São José, que espera por Londrina ou Brasília.

A Liga Nacional de Basquete vive atualmente seu melhor momento. Quinze times jogaram o NBB10 – dos quais Liga Sorocabana e Campo Mourão (PR) foram rebaixados e são potenciais rivais do Santos na Liga Ouro de 2019 – e outros nove jogaram a Liga Ouro. O total de 24 equipes profissionais no país é um recorde em tempos recentes.

No feminino, o Santos chegou a firmar uma parceria com a Fupes para jogar o Campeonato Paulista do ano passado, onde foi vice-campeão de um torneio esvaziado. Depois, clube e prefeitura não conseguiram recursos para bancar a participação na Liga de Basquete Feminino (LBF). Recentemente, representantes de Santos (não do Santos) participaram da reunião de planejamento da LBF para 2019 e 2020. Ao mesmo tempo, um emissário da Liga tem diálogos iniciais com o clube.

 

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.