PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Após romper dupla campeã olímpica, Bruno Schmidt refaz parceria com Solberg

Demétrio Vecchioli

23/05/2018 14h32

Pedro Solberg e Bruno Schmidt (divulgação)

Poucas horas depois de ver Alison anunciar, via assessoria de imprensa, o fim da parceria campeã olímpica no Rio, Bruno Schmidt já confirmou seu novo companheiro de quadras. No começo da tarde desta quarta-feira, o "Mágico", como é conhecido, revelou que vai retomar outra dupla de sucesso, com Pedro Solberg. Eles jogarão juntos já em Ostrava, na República Tcheca, no final de junho.

A informação foi publicada pelo site oficial dos eventos Major do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. "Estou super animado para jogar com o Bruno de novo. Ele é um grande jogador, que realizou muito em sua carreira, e é uma honra estar ao seu lado. Ele é um campeão olímpico e mundial, foi o melhor jogador do mundo recentemente e já tivemos sucesso antes", disse Pedro ao site. Bruno, depois, confirmou a informação ao GloboEsporte.com.

Filho mais novo de Isabel, estrela do vôlei, Pedro Solberg trocou cinco vezes de parceiro desde que a dupla vitoriosa que ele formou com Bruno Schmidt foi interrompida no final de 2013. Naquele momento, Bruno optou por voltar ao Espírito Santo para jogar com Alison, enquanto Solberg continuou no Rio, formando parceria primeiro como Emanuel, depois com Evandro. Desde o começo do ano vinha atuando ao lado de George, de 21 anos, seu 13º parceiro fixo em 12 temporadas profissionais.

Ainda que tenha conquistado o bronze no Mundial de 2015 com Evandro e chegado à Olimpíada, onde caiu nas oitavas de final, Pedro não conseguiu manter os resultados que alcançou ao lado de Bruno Schmidt em 2013. A dupla, agora retomada, fez quatro finais de Grand Slam naquela temporada, ganhando dois títulos.

Já Bruno Schmidt ganhou tudo que era possível com Alison, incluindo o ouro olímpico de 2016 e o título mundial de 2015. No Brasil, eles foram tetracampeões do Super Praia. Desde maio do ano passado, porém, eles não chegavam a nenhuma final juntos no Circuito Mundial, obtendo dois bronzes.

Alison ainda não definiu seu futuro. A"inda é cedo para falar qualquer coisa, é começar do zero. Vou me reunir essa semana com a comissão técnica e vamos pensar no futuro. Temos a corrida olímpica começando no início do ano e precisamos planejar tudo muito bem porque o objetivo é estar em Tóquio-2020", disse via assessoria de imprensa, indicando que vai continuar sendo comandado por Leandro Brachola, que foi o técnico da dupla Alison/Bruno.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.