Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Fim de semana bom para o Brasil teve recordes, títulos e chuva de medalhas

Demétrio Vecchioli

21/05/2018 12h15

Brasil campeão no rúgbi (divulgação)

O fim de semana foi agitado e positivo para o esporte olímpico brasileiro, com uma série de resultados relevantes em modalidades que vão do rúgbi XV, onde a seleção faturou pela primeira vez o título sul-americano, ao skate, que faturou quatro medalhas de seis possíveis nos X-Games. Confira as cinco principais conquistas do fim de semana.

1 – Ouro na Copa das Nações

No domingo, o Brasil venceu pela primeira vez uma etapa cinco estrelas da Copa das Nações de hipismo saltos, na França. A equipe formada por Luiz Felipe de Azevedo Filho/Chaccomo, Felipe Amaral/Germanico T, Yuri Mansur/Vitiki e Pedro Veniss/Quabri de L´Isle foi campeã fechando os dois percursos a 1,60m com apenas sete pontos perdidos. A competição foi fortíssima, contando com Holanda, França, Irlanda e Suíça, por exemplo. A principal competição da temporada são os Jogos Equestres Mundiais, em setembro, nos EUA.

2 – Título sul-americano

A vitória sobre o time B da Argentina, na semana passada, credenciou a seleção brasileira de rúgbi XV para um inédito título sul-americano, conquistado no sábado, com vitória diante da Colômbia. A competição, com seis participantes, foi realizada em curtíssimo prazo, com cada time jogando três vezes. O Brasil venceu o Chile em casa, o time B da Argentina fora, e atropelou a Colômbia, que só pela primeira vez participou de um torneio deste nível – antes, só os países do Cone Sul jogavam. O Uruguai também competiu com seu time B.

3 – Recorde sul-americano

Quinto colocado na Rio-2016 e quarto no Mundial Indoor deste ano, Darlan Romani continua entre os melhores do mundo no arremesso de peso. No domingo ele venceu um Meeting na Polônia com 21,94m, novo recorde sul-americano, melhorando em 12 centímetros a antiga melhor marca, que havia sido alcançada em junho do ano passado, em São Bernardo do Campo (SP). A melhor de Darlan tem sido expressiva nos últimos anos. Na Rio-2016, por exemplo, ele estabeleceu novo recorde nacional com 20,94m – um metro a menos do que agora. Com os 21,94m que alcançou no domingo, teria sido prata olímpico, por exemplo.

4 – Recorde Pan-Americano

A postura da Confederação Brasileira de Levantamento de Pesos (CBLP) de conflito com os principais atletas do país tirou a maioria deles do Campeonato Pan-Americano, disputado em Santo Domingo (República Dominicana). Fernando Reis Saraiva desta vez foi poupado, competiu, e bateu o recorde pan-americano do arranco na categoria peso pesado, com 201kg, um quilo a mais que o antigo recorde. No arremesso, ele admitiu que "poderia ter ido um pouco melhor" – o site da entidade não informa a marca que o levou à vitória. No ano passado, Fernando foi sexto no Mundial.

5 – Chuva de medalhas

Dividido em quatro etapas, os X-Games tiveram as disputas de street do skate em Oslo, na Noruega, no fim de semana. De seis medalhas possíveis, o Brasil ganhou quatro. Leticia Bufoni foi ouro e Pâmela Rosa ficou com o bronze no feminino. No masculino, vitória de Kelvin Hoefler e bronze para Felipe Gustavo. Luan Oliveira ainda terminou em sexto. O skate estreia na Olimpíada de Tóquio com as provas de street e park. O Brasil tem tudo para dominar os pódios.

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.