Topo
Blog Olhar Olímpico

Blog Olhar Olímpico

Com Glenda narradora, Globo vai transmitir Olimpíada de Inverno ao vivo

Demétrio Vecchioli

30/01/2018 11h49

(Divulgação/Globo/ João Cotta)

Pela primeira vez na história, a Globo decidiu fazer ampla cobertura televisiva de uma edição dos Jogos Olímpicos de Inverno. Com exceção dos quatro primeiros dias de competição, que caem exatamente durante o carnaval, a emissora carioca vai destinar cerca de quatro horas de sua programação para as transmissões, ao vivo e gravadas, no espaço entre o último telejornal do dia, o Jornal da Globo, e o primeiro do dia seguinte, o Hora 1, que entra no ar por volta das 5h. Glenda Kozlowski e Sérgio Maurício serão os narradores.

A iniciativa da Globo de transmitir mais de 40 horas de competição vem exatamente na primeira edição dos Jogos Olímpicos de Inverno no qual ela volta a ter exclusividade no Brasil. Na Olimpíada de 2010, em Vancouver (Canadá), só a Record detinha os direitos para o Brasil. Já em Sochi, em 2014, os direitos foram divididos entre as duas emissoras, mas a Globo transmitiu apenas algumas poucos provas.

Agora, está em vigor um contrato assinado em 2015 com o Comitê Olímpico Internacional (COI) com validade até 2032, com a Globo tendo exclusividade para o Brasil de todas as edições dos Jogos entre 2018 (de Inverno) até 2032 (Verão) em internet, mobile e TV a cabo. Na tevê aberta, não há cláusula de exclusividade, mas nenhuma outra emissora comprou os direitos. Em 2014, a Record fechou um acordo paralelo com o COI.

A Globo não informou quantos profissionais vai enviar a PyeongChang, nesta que será a primeira grande cobertura do grupo desde que começou a funcionar um modelo de integração entre as redações do site, da Globo e do SporTV – o canal fechado teve 70 profissionais em Sochi, por exemplo.

Como a cerimônia de abertura dos Jogos é no dia 9, sexta-feira da Carnaval, às 9h (de Brasília), e as madrugadas carnavalescas da Globo são sempre reservada aos desfiles do Rio e de São Paulo, o primeiro dia de transmissões será dia 14 de fevereiro, madrugada de terça para quarta. As últimas transmissões serão no dia 25, domingo, quando acaba a competição.

De acordo com a Globo, serão exibidas competições ao vivo, narradas por Glenda Kozlowski e Sérgio Maurício, e também boletins sobre provas já realizadas, esses apresentados por Glenda. PyeongChang será a segunda grande experiência dela como narradora, após comandar as provas de ginástica na Rio-2016.

Na Record, a Olimpíada de Inverno teve contínuas transmissões de provas de patinação artística, que renderam bons números de audiência à emissora paulista especialmente em 2010. Com a Globo, essas provas terão que ser transmitidas em VT, uma vez que elas começam quase sempre às 10h locais (23h no Brasil).

Uma vez que as transmissões terminam cedo (5h no Brasil, 16h de PyeongChang), a tendência é que as provas noturnas da Coreia do Sul sejam exibidas só no dia seguinte no Brasil.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.