Blog Olhar Olímpico

Incêndio destrói parte do telhado do Velódromo do Rio; ministro culpa balões

Demétrio Vecchioli

30/07/2017 07h10

Reprodução/TV Globo

Estrutura olímpica com mais possibilidade de se tornar um elefante branco, o Velódromo do Rio teve seu teto consumido por um incêndio na madrugada deste domingo. A Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO) ainda não tem um balanço do tamanho do prejuízo, mas o incêndio, que começou por volta das 0h30, levou mais de 4 horas para ser completamente controlado e já é possível ver em imagens que parte do telhado foi destruído.

O incêndio foi registrado no Twitter por pessoas que passavam perto do local. O incêndio não deixou feridos.

A AGLO informou em comunicado que “a princípio, não houve qualquer dano de natureza hidráulica ou elétrica; não comprometendo, portanto, o sistema de refrigeração do velódromo, que segue em funcionamento e mantendo a devida temperatura da madeira siberiana que compõe a pista de ciclismo.  Ainda de acordo com a polícia, a primeira avaliação é de que os danos internos são decorrentes da queima da cobertura do velódromo e da água utilizada para apagar o incêndio”.

A entidade ainda disse ter tomado “todas medidas legais cabíveis” até o momento. Ela registrou uma ocorrência na Polícia Federal, por se tratar de um crime de âmbito federal.

Pelo Twitter, o ministro do Esporte, Leonardo Picciani fez diversas postagens durante a madrugada e culpou a soltura de balões pelo incêndio. O ministro, que é natural do Rio e volta para lá todo fim de semana, gravou vídeos mostrando balões caindo no Parque Olímpico enquanto o fogo do Velódromo ainda estava sendo controlado pelos bombeiros.

No Twitter, ele divulgou uma nota oficial. “O Ministério do Esporte lamenta profundamente o incidente ocorrido nesta madrugada na Velódromo e ao mesmo tempo critica essa prática criminosa de soltar balão. O Velódromo, legado dos Jogos Olímpicos brasileiros, vinha sendo utilizado por atletas e pela comunidade do Rio. Aguardamos e confiamos na apuração e punição dos envolvidos por destruírem mais do que um bem público, um equipamento comum a todos. Após a perícia dos Bombeiros, avaliaremos os danos e medidas a serem adotadas para recuperação desse importante bem nacional”, postou.

Ele ainda postou fotos de outros balões que cáiram na região.

Construído ao custo de R$ 150 milhões, o Velódromo do Rio está praticamente inutilizado desde a Olimpíada, ainda que tenha a previsão de consumir R$ 10 milhões em manutenção só este ano. A AGLO chegou a afirmar que traria para o Brasil o Mundial Júnior de ciclismo deste ano, mas não cumpriu a promessa. O local também não será palco de nenhuma etapa de Copa do Mundo e, por enquanto, serviu apenas a um torneio regional do ciclismo do Rio.

A organização afirma que o espaço tem sido utilizado semanalmente para treinos de atletas de alto rendimento às terças e quintas-feiras, além de fins de semanas. Ele também foi aproveitado como parte do “Rio Bike Fest” no mês de junho e receberia neste domingo (30) um torneio de karatê, transferido para o próximo domingo e para a Arena 1 do Parque Olímpico.

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque, interior de SP, vive na capital paulista desde que começou a estudar jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, onde terminou a graduação em 2007 e a pós-graduação em 2011. Após início na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Topo