PUBLICIDADE
Topo

Em biografia, Poliana conta como atropelou e teve foto rejeitada por Phelps

Demétrio Vecchioli

07/07/2017 04h00

Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio, Poliana Okimoto virou livro. Chega às bancas neste sábado a biografia da nadadora, escrita em parceria por Daniel Takata, redator da Revista Swim Channel, e pelo ator Helio de La Peña, que também é maratonista aquático.

O livro, que tem o nome de Poliana Okimoto, conta a trajetória da nadadora que colocou a maratona aquática em destaque no esporte brasileiro, participando de todos os Campeonatos Mundiais da modalidade a partir de 2006 – a sequência será quebrada este ano, uma vez que ela não se classificou para Budapeste.

Entre episódios marcantes na carreira da nadadora, como a prata no Pan do Rio, em 2007, o título mundial de 2013, em Barcelona, e a frustração de sair carregada da prova olímpica de Londres, em 2012, aparecem algumas histórias até agora inéditas.

Duas delas envolvem o nadador Michael Phelps. A primeira delas, nos Jogos Olímpicos de Pequim. O norte-americano já havia ganhado sete medalhas e era rosto conhecimento no mundo todo. Mas não foi reconhecido quando nadava sem pressa em uma raia do Cubo D'Água. Poliana realizava uma série de intensidade alta e não teve dúvida quando viu o retardatário pela frente.

"Em dado momento, precisou ultrapassar aquele rapaz para cumprir a metragem da série. Como ele não deu passagem, praticamente passou por cima e o atropelou – prática comum no mundo da natação, como uma forma de chamar a atenção do colega para o trânsito na raia. Quando terminou a distância, Ricardo Cintra a avisou: 'Você viu quem acabou de atropelar? O Michael Phelps!' Poliana engoliu seco. E riu da situação com o americano, quando este a encontrou na borda da piscina", conta um trecho do livro.

Dois anos depois, eles voltariam a se encontrar, em Irvine, nos Estados Unidos, durante a disputa do Pan-Pacífico, tradicional competição de natação entre países não-europeus. Em um dos treinamentos da seleção brasileira, ela viu aquele mesmo nadador que atropelara em Pequim e que já era o maior nome do esporte mundial. Novamente estava junto com Ricardo, seu marido e treinador, e desta vez decidiu que pediria uma foto.

"O americano não só negou o pedido como virou a cara resmungado. Visivelmente constrangido pela atitude, o casal ficou sem reação. A má impressão não ficou por Phelps ter se recusado a foto. Poliana, como atleta de alto nível, sabe que nem todos estão disponíveis a qualquer hora. O que causou indignação foi a grosseria e a má-educação", contam Takata e De la Peña.

O livro deles, de 240 páginas, editado pela Contexto, chega às bancas custando R$ 45. O lançamento será neste sábado, às 15h, na Livraria da Vila (Rua Fradique Coutinho, 915, Vila Madalena, São Paulo). Poliana Okimoto promete estar presente para a sessão de autógrafos.

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Está disponível para críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas no demetrio.prado@gmail.com.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.