Blog Olhar Olímpico

Ministério gasta R$ 1,1 milhão em Mundial Militar com só 11 países

Demétrio Vecchioli

12/12/2017 04h00

Interessado em validar o modelo esportivo militar vigente, focado no resultado de alto rendimento, o Ministério do Esporte decidiu investir mais de R$ 1,1 milhão na realização de um Campeonato Mundial Militar de Natação, que começa nesta terça-feira no Rio de Janeiro. A competição, porém, é irrelevante internacionalmente, tanto que contará com a participação de apenas 11 países.

A competição faz parte do calendário internacional do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), mas sua realização anualmente não é mandatória. O Mundial só é de fato organizado quando um país se oferece para sediá-lo e desde que arque com os custos. Em um momento no qual a atração de eventos internacionais passa longe de ser uma prioridade, o Ministério da Defesa decidiu assumir o compromisso de organizar o Mundial.

E, o Ministério do Esporte, o de bancá-lo. Em setembro, o Olhar Olímpico revelou que um convênio de R$ 1,1 milhão foi firmado entre o Esporte e o Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa, pra viabilizar a competição. Na mesma época, o Esporte liberou outros R$ 1,5 milhão para o Mundial de Vôlei de Praia.

No caso do de natação, o Mundial que será realizado na Universidade da Força Aérea (UNIFA), em Campo dos Afonsos, no Rio, vai contar com a presença de apenas 131 atletas, de 11 países visitantes Alemanha, Canadá, França, Índia, Iraque, Luxemburgo, Polônia, Rússia, Sri Lanka, Suíça e Ucrânia, além é claro do Brasil.

O número é irrisório perto dos 136 convidados, mas não chega a ser nenhuma surpresa. No Mundial passado, realizado em 2016 na Suécia, havia apenas 10 países inscritos. O Brasil está sempre presente desde 2007, quando começou a apostar no esporte militar. Em 2011, o Rio recebeu os Jogos Mundiais Militares.

Realizado ao custo de R$ 1,5 milhão, no mês passado, o Mundial Militar de Vôlei de Praia não foi um sucesso maior. A competição teve só oito duplas femininas, de quatro países (Brasil, China, Alemanha e Sri Lanka) e 20 masculinas, sendo cinco brasileiras. Burkina Faso, Irã, Letônia, Palestina e Holanda também mandaram representantes. O Brasil se orgulhou de ganhar fácil ouro e prata no feminino e ouro, prata e bronze no masculino.

 

 

 

Sobre o autor

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque, interior de SP, vive na capital paulista desde que começou a estudar jornalismo na Faculdade Cásper Líbero, onde terminou a graduação em 2007 e a pós-graduação em 2011. Após início na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Focado na cobertura olímpica, produziu o Giro Olímpico para o UOL e reportagens especiais para a revista IstoÉ 2016. Criador do Olimpílulas, foi colunista da Rádio Estadão e blogueiro do Estadão, pelo qual cobriu os Jogos do Rio-2016.

Sobre o blog

Um espaço que olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. Aqui tem destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Blog Olhar Olímpico
Topo